Justiça mantém prisão de quatro acusados de matar 'Gegê do Mangue' e 'Paca'

A tríade de juízes da Vara Única Criminal de Aquiraz considerou que "inexiste excesso de prazo" nas prisões

A Justiça Estadual determinou, mais uma vez, a manutenção da prisão de quatro acusados de matar os líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Rogério Jeremias de Simone, o 'Gegê do Mangue', e Fabiano Alves de Souza, o 'Paca'. O crime ocorreu há quase três anos, em 15 de fevereiro de 2018, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

A tríade de juízes da Vara Única Criminal de Aquiraz considerou que "inexiste excesso de prazo" nas prisões de Carlenilton Pereira Maltas; o piloto Felipe Ramos Morais; Jefte Ferreira Santos; e Gilberto Aparecido dos Santos, o 'Fuminho', e que os fundamentos que levaram à prisão preventiva estão mantidos. A decisão foi proferida na última quarta-feira (13).

A prisão preventiva dos quatro réus tinha sido renovada pela última vez há mais de 90 dias. A nova decisão da Vara de Aquiraz tem o objetivo de "evitar qualquer alegação de nulidade" das prisões, segundo o documento.

A Justiça já recusou vários pedidos de liberdade das defesas dos réus. O último pedido foi feito pela defesa de 'Fuminho', apontado pela investigação como mandante do duplo homicídio. A tríade de juízes recusou o pleito no dia 17 de dezembro de 2020.

O quinto suspeito de participar dos assassinatos de 'Gegê do Mangue' e 'Paca' que está preso é André Luís da Costa Lopes, o 'Andrezinho da Baixada'. Seguem foragidos os réus Erick Machado Santos; Ronaldo Pereira Costa; Tiago Lourenço de Sá de Lima; Maria Jussara da Conceição Ferreira Santos (mãe de Jefte Santos); e Renato Oliveira Mota.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança