Hospitais de emergência e UPAs de Fortaleza recebem seguranças armados, anuncia Roberto Claudio

Medida foi adotada após onda de insegurança desde o início da greve de policiais militares

Com a onda de violência em Fortaleza desde o início do motim de policiais militares, cresceram os relatos de ataques a unidades de saúde da Capital. Segundo o prefeito Roberto Claudio, desde a última quinta-feita (27), a segurança de estabelecimentos que possuem o serviço de emergência foi reforçada com profissionais armados.

“Surgiu uma preocupação nova, ao longo dos últimos dias, com os hospitais de portas abertas que têm emergências abertas 24 horas por dia. Pra esses, autorizamos já ontem a garantia de um segurança armado, treinado, 24 horas, na entrada de cada um”, anunciou durante coletiva no Paço Municipal, na tarde desta sexta (28). A medida também vale para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) municipais.

> Assaltantes invadem UPA no bairro São Cristovão

Conforme o prefeito, desde o ano passado, a Prefeitura tem um acordo com os sindicatos de profissionais de saúde para identificar os equipamentos de maior vulnerabilidade na cidade. “Temos hoje uma ronda diária permanente da Guarda Municipal (GMF) nesses equipamentos, a maior parte deles da atenção primária”, afirma. 

Roberto Claudio reforça que, desde o primeiro dia do motim, a GMF trabalha em parceria com as forças estaduais e federais de segurança nas vias da Capital. “Colocamos 100% do nosso efetivo nas ruas com potencial máximo de viaturas e horas extras para dar todo o apoio que está ao nosso alcance”, diz.
 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança