#ExposedFortal: MPCE recebe denúncias e afirma que levará dois casos à Justiça

Promotoria do Órgão orienta que demais vítimas formalizem as denúncias para que possam virar ações na Justiça

Denúncias de crimes sexuais  que teriam ocorrido no Ceará, foram publicadas nas redes sociais.
Legenda: Jovens do sexo feminino têm denunciado crimes sexuais ocorridos no Ceará nas redes sociais

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) informou na manhã desta quarta-feira (8) que levará duas denúncias de casos do #ExposedFortal à Justiça. O Órgão afirmou que trabalha com a possibilidade de crimes sexuais, que podem ir de estupro à importunação sexual. A hashtag ganhou ampla repercussão no Twitter e culminou em um mandado de busca e apreensão, contra os suspeitos, cumprido na manhã da última segunda-feira (6).

O órgão orienta que as demais vítimas formalizem denúncias para que também possam virar ações judiciais contra os acusados. “O medo em relação às ameaças e a vergonha delas impedem que os demais procedimentos instaurados sejam levados à frente. Aguardamos que elas criem coragem”, diz o promotor do MPCE, Humberto Ibiapina.

Sobre os dois casos que serão encaminhados ao Poder Judiciário, Humberto Ibiapina informou esperar que a Justiça receba as denúncias. “Esperamos que, após o envio dos casos, os envolvidos prestem depoimento e que as testemunhas sejam ouvidas para, assim, haver a condenação.”

O MPCE reforçou que as instituições de ensino, públicas e particulares, nas quais se encontram alvos de denúncias, poderão ser responsabilizadas por meio das promotorias da Infância e Juventude. 

“Um dos focos é a responsabilização da escola, do coordenador ou professor que, às vezes, tomou o conhecimento do fato e não comunicou. Já identificamos casos de meninos que também teriam sofrido assédio”, afirmou o promotor Luciano Tonet.

Luciano salienta ainda a importância de as denúncias serem levadas aos órgãos competentes, como o próprio MPCE e a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). "Então, elas devem ir ao Ministério Público e à delegacia para podermos tomar providências”.

Computadores e celulares apreendidos

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, informou na última segunda que a Polícia Civil deflagrou uma operação para cumprir mandados de busca e apreensão em endereços na capital cearense. A ideia era obter elementos de provas que auxiliem na condução do inquérito policial em andamento.

Durante o cumprimento dos mandados, foram apreendidos aparelhos celulares, computadores e HDs. "O material foi recolhido dos imóveis dos alvos da operação e encaminhado para Pefoce para extração de informações e análise do conteúdo dos dispositivos", afirmou a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

A operação é conduzida pelas delegacias de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca) e da Criança e do Adolescente (DCA), com apoio do Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV) e do Departamento de Inteligência Policial (DIP). A SSPDS afirmou não poder repassar detalhes "para não comprometer o trabalho policial".

Casos em Fortaleza e no Interior do Ceará

Os casos de supostos crimes sexuais vieram à tona com a #ExposedFortal, no dia 23 de junho, pelo Twitter. Diversas denúncias, envolvendo professores e alunos de escolas públicas e particulares, vieram a público. 

Em Fortaleza, um grupo de WhatsApp, composto por homens, jovens e adultos, serviria para o compartilhamento de fotos íntimas sem consentimento de garotas e mulheres. A Polícia Civil investiga o caso. 

Já em Sobral, no interior do Ceará, no dia seguinte à popularização da hashtag #ExposedFortal, jovens também fizeram denúncias de crimes sexuais no Twitter, com a hashtag #ExposedSobral.

O secretário André Costa utilizou o Twitter para afirmar que a Polícia Civil irá apurar as denúncias de crimes sexuais ocorridos em Sobral e reforçar a importância das vítimas registrarem o Boletim de Ocorrência (B.O.). "São crimes inaceitáveis e que marcam para sempre a vida dessas garotas", destacou.