Ex-delegado preso por furto no Papicu é solto ao pagar meio salário mínimo de fiança

Quantia foi reduzida devido às atuais condições financeiras do ex-delegado

Escrito por Redação,

Segurança
Legenda: No ano de 2013, o então delegado foi expulso da Polícia Civil por decisão do Governo do Estado do Ceará
Foto: Reprodução

O ex-delegado Delmiro Baturité Queiroz Zamenhof, preso na última segunda-feira (15) por furto a produtos de uma loja em um shopping do bairro Papicu, em Fortaleza, foi solto ao pagar meio salário mínimo (R$ 550) de fiança à Polícia Civil.

A informação referente à soltura foi confirmada pela Secretaria da Segurança Pública na tarde desta terça-feira (16), e a reportagem do Diário do Nordeste apurou o valor pago pelo ex-delegado para ser liberado.

Delmiro Baturité foi conduzido ao 15º Distrito Policial (DP), na Cidade 2000, onde a delegada adjunta determinou que ele deveria pagar R$ 1.100 para que ela pudesse arbitrar a fiança. No entanto, o montante foi reduzido a R$ 550 devido às atuais condições financeiras do ex-delegado.

Segundo o Código de Processo Penal, há como arbitrar fiança para pessoas que cometem crimes que tenham penas menores do que quatro anos, como foi o caso do ex-delegado.

Expulsão

No ano de 2013, o então delegado foi expulso da Polícia Civil por decisão do Governo do Estado do Ceará. Ele vinha sendo investigado pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD), sob a acusação de transgressão disciplinar de natureza gravíssima.

Conforme o relato, ele utilizava um cartão com senha para abastecimento exclusivo da viatura da delegacia do 9º DP, no bairro Dunas, de forma indevida, pois a viatura já havia entrado em desuso e estava recolhida para leilão no Departamento de Transportes da Polícia Civil.

Outro cartão, para o abastecimento da viatura da Delegacia Municipal de Santana do Acaraú, também foi utilizado indevidamente pelo delegado. Assim, conforme a investigação da CGD, Delmiro Baturité abastecia seu carro particular com combustível pago pelo Estado do Ceará.

Liberação indevida de presos

O então delegado já havia se envolvido em outro episódio polêmico, quando teria liberado do plantão do 34º DP, no bairro Centro, um grupo de pessoas detidas pelo BPRaio com drogas. Naquela época, ele negou a acusação. Delmiro Baturité foi afastado do cargo por não autuar em flagrante suspeitos de tráfico de drogas. 

Tentativa de suborno

No ano de 2015, o ex-delegado foi preso na cidade de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, após ter tentado subornar policiais militares, que chegaram que o veículo conduzido por ele estava com a numeração adulterada. Ele também foi autuado por corrupção ativa e porte ilegal de arma de fogo.