CGD instaura sindicância contra inspetora da Polícia Civil suspeita de agressão em Jericoacoara

A portaria em desfavor da policial foi publicada na edição do Diário Oficial do Ceará desta quarta-feira (21). A confusão foi registrada por câmeras de segurança da pousada

A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) instaurou sindicância administrativa contra a inspetora da Polícia Civil do Ceará Emmanuela Catunda Lopes Ferreira. A policial é suspeita de agredir uma funcionária de uma pousada em Jericoacoara, no Interior do Ceará, no último dia 11 de outubro.

Vídeos da discussão entre a inspetora e a recepcionista circularam nas redes sociais. A proprietária da pousada contou ao Sistema Verdes Mares que a discussão teve início após a policial se recusar a cumprir normas sanitárias. Conforme a empresária, a inspetora queria levar para a piscina da pousada amigos que não estavam hospedados, contrariando as normas do estabelecimento.

A portaria publicada no Diário Oficial do Ceará desta quarta-feira (21) traz a tese que a conduta da policial violou prerrogativas e se faz necessária "apurar os fatos narrados em toda a sua extensão administrativa". A publicação destaca que a confusão foi amplamente noticiada na imprensa local e nacional.

Caso

Câmeras de segurança do estabelecimento registraram a confusão. Nas imagens é possível ver que a policial se vira para a funcionária, retira o celular das mãos dela e o joga no chão. Imediatamente depois se iniciam as agressões físicas.

Em defesa da inspetora da Polícia Civil, o Sindicato dos Policiais Civis de Carreira no Estado do Ceará (Sinpol-CE) afirmou que a servidora foi vítima da violência e filmada em trajes de banho sem autorização. O coordenador jurídico do Sinpol, Kaio Castro, acrescentou que, para o Sindicato, a funcionária da pousada foi quem iniciou as agressões.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança