Acusado de raptar e matar Débora Lohany vai a julgamento nesta sexta-feira (26)

Walderir Batista, o 'Bracinho' foi preso no dia 13 de abril de 2017, em uma operação realizada fora do Estado do Ceará

Escrito por Redação,

Segurança
Legenda: Débora Lohany de Oliveira, desapareceu na noite de 27 de abril de 2017, enquanto brincava na rua, no bairro Aerolândia.
Foto: Reprodução/ VC Repórter

Dois anos depois do crime, o homem acusado de raptar e matar a menina Débora Lohany de Oliveira, de 4 anos de idade, irá a julgamento. Walderir Batista dos Santos será julgado na 5ª Vara do Júri, a partir das 9h, nesta sexta-feira (26).

O acusado, conhecido como 'Bracinho' foi preso no dia 13 de abril de 2017, 17 dias depois da menina desaparecer, na Avenida Raul Barbosa, no bairro Aerolândia. O desaparecimento da criança foi amplamente divulgado na mídia e comoveu a população cearense.

Na época, para capturar 'Bracinho', o secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, e o então diretor do Departamento de Inteligência (DIP) da Polícia Civil, delegado Renê Andrade, participaram das diligências.

Legenda: Conhecido como "bracinho", Walderir Batista dos Santos atuava como flanelinha nas imediações da Avenida Raul Barbosa, onde a criança desapareceu
Foto: Divulgação Polícia Civil

Batista foi encontrado no município de Parnaíba, Piauí. No depoimento, o homem confessou o crime e, conforme a Polícia Civil, teria dito que matou a criança por "vingança". O corpo de Débora foi localizado na Avenida Almirante Henrique Saboia (Via Expressa), na semana seguinte ao sequestro.

Relembre o caso

A criança de 4 anos desapareceu na noite do dia 27 de março de 2017, entre a Rua Alecrim e a Avenida Raul Barbosa, no bairro Aerolândia, em Fortaleza. De acordo com a mãe da menina, Débora brincava na calçada enquanto ela assistia TV em casa. No começo da noite, quando a mãe foi buscar a criança, não a encontrou. 

A Polícia fez buscas no local, mas a menina só foi encontrado no dia 7 de abril do mesmo ano, na Via Expressa, próximo à avenida Pontes Vieira. O corpo já estava em estado avançado de decomposição. O acusado do crime foi preso seis dias depois pela Polícia Civil, no Piauí. O homem teria matado a criança por conta de uma desavença com parentes dela. 

Assuntos Relacionados