Rio Salgado, em Aurora, apresenta cheia após as primeiras chuvas de fevereiro

O Rio Salgado é o principal afluente do Rio Jaguaribe. As chuvas no Cariri são fundamentais para a recarga do Açude Castanhão

Legenda: O mesmo trecho do Rio Salgado, em outubro de 2019, seco
Foto: Antônio Rodrigues

As chuvas dos últimos dias na região do Cariri fizeram o Rio Salgado, em Aurora, apresentar um bom volume e transbordar na madrugada deste sábado (08). A boa quantidade de água se deu, sobretudo, pela chuva que caiu Mauriti, que registrou 36,6 milímetros, e Missão Velha, que acumulou 23,5 milímetros, entre 7h de ontem e às 7h deste sábado (08). Os dados são Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). 

Já entre as 7h da última quinta-feira e 7h sexta-feira (07), choveu com menor intensidade em Aurora (15,4 mm), Barbalha (12 mm), Missão Velha (11,6 mm) e Crato (10,2 mm). Entre terça-feira e quarta-feira (05), choveu bastante em quase todos os municípios do Cariri, contribuindo para o aumento do recurso hídrico no Salgado. 

As chuvas no chamado "Cariri Leste” ajudam a aumentar este volume, porque um dos seus principais afluentes é o Riacho dos Porcos, que nasce no município de Porteiras. Em seu trajeto é abastecido pelo Riacho São Miguel, que nasce no distrito de São Miguel, em Mauriti. A água segue por Milagres e deságua no Rio Salgado, no distrito de Ingazeiras, em Aurora.  

O Rio Salgado é o principal afluentes do Rio Jaguaribe, as águas que caem na Região do Cariri também contribuem para a recarga do Açude Castanhão, principal responsável por abastecer a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), que apresenta 2.47 % de sua capacidade. 

Com um percurso de aproximadamente 308 quilômetros, o Rio Salgado nasce na Chapada do Araripe, em Crato, com o nome de Rio da Batateira. Sua bacia hidrográfica está espalhada pelas cidades de Icó, Cedro, Umari, Baixio, Ipaumirim, Várzea Alegre, Lavras da Mangabeira, Granjeiro, Aurora, Caririaçu, Barro, Juazeiro do Norte, Crato, Missão Velha, Barbalha, Jardim, Penaforte, Milagres, Abaiara, Mauriti, Brejo Santo, Porteiras e Jati. 

Em Aurora, o Rio Salgado tem um percurso de aproximadamente 42 km, sendo abastecido, na margem direita, pelos riachos dos Cavalos, das Antas, os rios Cuncás, Pendência, Areia e Titi. Na Serra da Várzea Grande, os riachos do Pau Brando e Bordão de Velho descem até ele. Já pela margem esquerda, recebe águas do Rio Carás, Rio Jenipapeiro I e dos riachos do Meio, do Juiz, São João, dos Mocós, da Caiçara e Jenipapeiro II. 

Transposição 

Em outubro do ano passado, a equipe do Sistema Verdes Mares flagrou este mesmo trecho do Rio Salgado, em Aurora, seco e com muita vegetação. Porém, a expectativa é que com o Eixo Norte da Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf) pronto, a realidade do afluente seja outra, mesmo nos períodos mais quentes do ano.  

Isso porque a água da Transposição será direcionada até o Rio Salgado, através do chamado “eixo emergencial”, para garantir o abastecimento da Região Metropolitana de Fortaleza. O recurso hídrico será captado da barragem de Jati pelo Cinturão das Ágas do Ceará (CAC).  

Por 53 quilômetros de canais, túneis e sifões, a água seguirá por gravidade de Jati até o Riacho Seco, em Missão Velha, seguindo pelo Rio Salgado até desaguar no Rio Jaguaribe, onde cairá no maior reservatório do Estado. Segundo a Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra), a expecitativa é que jorre 12 m³/s e mesmo com uma perda, no trajeto, de 3m³/s, serão suficientes para a garantia hídrica da RMF.  

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará

Assuntos Relacionados