Recém-nascidos de Sobral são imunizados contra doenças respiratórias graves

O Hospital Regional Norte (HRN) começou a disponibilizar o medicamento em 2019 e se tornou a primeira unidade do Sistema Único de Saúde (SUS) no interior do Ceará a contar com a medicação.

Legenda: Em 2019, mais de 70 crianças foram imunizadas contra infecções respiratórias graves, no HRN.
Foto: Foto: Divulgação/HRN

Mais de 80 crianças começaram a receber, na úiltima quinta-feira (20), o medicamento Palivizumabe, no Hospital Regional Norte (HRN), localizado em Sobral. O remédio é indicado para bebês com menos de um ano de idade que nasceram prematuras ou crianças com até dois anos portadoras de doenças pulmonar crônica ou cardíaca congênita. O Palivizumabe previne contra a infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR) e aumenta a proteção das crianças.

O HRN começou a disponibilizar o medicamento em 2019 e se tornou o primeiro hospital do Sistema Único de Saúde (SUS) no interior do Ceará a contar com a medicação. “Essa população de risco vem sendo imunizada, protegida. A intenção é que esses bebês não tenham nenhum problema respiratório no período da quadra invernosa e, consequentemente, não precisem de reinternações”, explica Cristiane Lemos, enfermeira e coordenadora da Neonatologia do HRN.

A especialista explica que a prioridade é das crianças consideradas de alto risco: “prematuros, menores de 29 semanas; bebês com algum problema pulmonar crônico; ou bebês cardiopatas com alguma repercussão hemodinâmica (pressão arterial anormal ou instável)”, enumera Cristiane. 

Infecção

Bebês prematuros infectados pelo Vírus Sincicial Respiratório no primeiro ano de vida geralmente desenvolvem bronquiolite aguda (inflamação dos bronquíolos) e pneumonia. Já nos prematuras com doença pulmonar crônica ou cardíaca congênita, o vírus pode piorar o quadro e, com isso, ser necessário o internamento. Nestes casos, o palivizumabe é um anticorpo importante para reduzir as chances de infecção.

Metas

No ano passado, mais de 70 crianças da região Norte foram imunizadas entre fevereiro e julho, quando se encerrou o ciclo de aplicações. Para 2020, a meta é aplicar o medicamento em até 100 crianças. “Queremos imunizar de 80 a 100 crianças. Nós começamos com 82 crianças e esperamos que o número aumente até o final da quadra chuvosa”, explica a coordenadora da Neonatologia do HRN. 

Para alcançar a meta, o Hospital Regional expandiu seu ambulatório e hoje atende com dois consultórios. “Também estamos com uma equipe multiprofissional de residentes para melhor atender a população. Além disso, trabalhamos com a comunicação, divulgando o medicamento para que os pais estejam cientes em garantir essa proteção”, finaliza a especialista. 

Cuidados básicos para evitar infecções respiratórias:

- Manter a higiene pessoal (lavar as mãos com frequência);
- Manter a amamentação; 
- Ficar longe de fumaça de cigarro; e 
- Evitar locais fechados e contato com pessoas gripadas.

Como fazer o pedido

Os responsáveis pelas crianças com indicação de palivizumabe devem ser encaminhados por um médico. Após isso, serão orientados pelas secretarias de saúde municipais sobre o acesso ao serviço no Hospital Regional Norte. A documentação necessária, que deve ser apresentada mensalmente na recepção do Hospital, é: 

- Cartão SUS (cópia); 
- Comprovante de residência (cópia); 
- Certidão de Nascimento (cópia); 
- CPF da mãe (cópia); 
- RG da mãe (cópia); 
- Relatório de alta (2 cópias); 
- Relatório Médico (2 cópias); 
- Receita médica do palivizumabe (2 cópias); e 
- Solicitação do palivizumabe (2 cópias).

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará