"Pescando Solidariedade" distribui 860 cestas básicas a comunidades da zona costeira do Ceará

Os municípios contemplados foram Itapipoca, Acaraú, Aracati, Camocim, Amontada, Aquiraz, Beberibe e Fortim.

Legenda: O projeto contemplou 9 comunidades pesqueiras, 1 aldeia indígena e 3 comunidades quilombolas.
Foto: Foto: Arquivo Pessoal

Sustento necessário para garantia alimentar em meio a pandemia do novo coronavírus860 cestas básicas foram entregues à comunidades tradicionais de oito municípios da zona costeira do Ceará. O material foi arrecadado pelo Instituto Terramar, por meio da Campanha Pescando Solidariedade, e contemplou nove comunidades pesqueiras, uma aldeia indígena e três comunidades quilombolas. O transporte e a entrega foram realizados na última sexta-feira (8) e sábado (9), no litoral oeste e leste, respectivamente.

As doações também incluíram itens de higiene pessoal e limpeza, contemplando as cidades de Itapipoca (150), Acaraú (80), Aracati (30 no Córrego de Ubaranas e 124 no Quilombo do Cumpe), Camocim (145), Amontada (30), Aquiraz (129), Beberibe (96), e Fortim (76)

Cristiane Faustino, do Instituto Terramar, pontua que a ação só foi possível por conta de um esforço coletivo. “Nós só conseguimos chegar até aqui porque trabalhamos juntos e acreditamos na humanidade das pessoas. Agradeço de coração a todos que colaboraram com suas condições materiais e engajamento para que, assim como nós, as comunidades tradicionais costeiras e pesqueiras possam também manter-se em isolamento social”, ressalta. 

Legenda: As cidades beneficiadas foram: Itapipoca, Acaraú, Aracati, Camocim, Amontada, Aquiraz, Beberibe e Fortim. 
Foto: Foto: Arquivo Pessoal

Mobilização

Também participaram da mobilização o Grupo de Trabalho sobre enfrentamento aos conflitos na Zona Costeira e mais de 30 lideranças comunitárias das praias, estuários e manguezais cearenses. “Tínhamos, inicialmente, uma demanda total de 965 famílias, que posteriormente foi reduzida, mediante avaliações comunitárias, que por terem conseguido acessar assistência por outros meios e escolheram redirecionar sua demanda inicial para outras”, destaca o Terramar, em Carta de Encerramento da primeira fase da Campanha.

O financiamento voluntário funcionou de 6 de abril a 8 de maio, e arrecadou R$ 5.196,36. Além disso, a Pescando Solidariedade mobilizou recursos junto a parceiros nacionais e internacionais, Sociedade Sueca de Preservação da Natureza (SSPN) e Pão Para o Mundo. 

Próxima Etapa

A iniciativa coletiva para arrecadar, inicialmente, fundos para uma ação de emergência alimentar e sanitária às comunidades, já está em fase de planejamento da segunda etapa. “Consistirá em outras frentes de apoio popular solidário ao enfrentamento das necessidades emergenciais na pandemia, e estratégias de mitigação, reconstrução e fortalecimento da vida e das economias comunitárias”, acrescenta o Terramar.

A entrega dos produtos foi realizada pela Secretaria de Proteção Social, Justiça, Mulheres e Direitos Humano, com apoio da Secretaria Executiva de Direitos Humanos e da Secretaria Especial de Políticas Públicas para Promoção da Igualdade Racial. “Estamos alcançando as comunidades que estão em situação de maior vulnerabilidade social e que precisam de apoio para garantir seu direito ao isolamento e autoproteção”, garante Zelma Madeira, coordenadora de Políticas Públicas para Igualdade Racial da SPS. 

“A crise econômica, social e sanitária provocada por esta pandemia também pode ser vista como um alerta para que a sociedade tenha novos olhares para com os povos tradicionais e segmentos em situação de vulnerabilidade”, pontua.