Irmãos Aniceto retornam após sucesso na Europa

Legenda:
Foto: Antônio Vicelmo
Crato (Sucursal) — A Banda Cabaçal “Irmãos Aniceto” voltou da Europa, depois de se exibir, com grande sucesso artístico, em Portugal, Espanha e África. Acompanhada pelo ex-secretário de Cultura do Crato, Fernando Piancó, a banda contou com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado e Prefeitura Municipal, através da Fundação J. de Figueiredo Filho. Os Irmãos Aniceto se apresentaram no Festival Folclórico e de Gastronomia da Vila do Crato, em Portugal. O convite foi feito pelo presidente da Câmara Legislativa daquela cidade, José Correia da Luz, quando visitou o Crato do Ceará, no dia 21 de junho, nas comemorações do Dia do Município e recebeu a Medalha do Mérito Bárbara de Alencar.

O festival português contou com a presença do ministro da Cultura do Brasil, Gilberto Gil, da secretária de Cultura do Ceará, Cláudia Leitão e do cantor Raimundo Fagner, que abrilhantaram o tradicional evento juntamente com a Banda Cabaçal Irmãos Aniceto e com o ator cratense, Fernando Piancó, assessor da Secretaria de Cultura do Estado. Além da visita ao Crato de Portugal, a Banda estendeu sua excursão a Lisboa, Madri e África. Os Irmãos Aniceto receberam também convite para se apresentarem, em breve, na França e participarem novamente do Festival de Crato, Portugal, em agosto do próximo ano.

Para o tocador de pífaro, Antônio Aniceto, que nasceu e cresceu no pé da serra do Crato, a viagem por alguns países da Europa, dentre os quais, Portugal e Espanha, não foi nenhuma novidade.

“Tudo lá é muito bonito, mas eu prefiro o Bairro Batateira, onde a gente mora”, disse Raimundo Aniceto, acrescentando que a cidade de Crato Alentejo é muito parecida com o Crato cearense: “até as cores do prédio do Museu de lá são as mesmas”. Raimundo disse que, quando o grupo começou a tocar numa das praças, juntou um “mundo de gente”.

O que mais chamou a atenção de Raimundo foi a quantidade de frutas, principalmente uvas, nos quintais das casas portuguesas. “A gente comia uva no meio da rua, sem comprar”, contou. Para Adriano, o mais novo do grupo, o mais curioso foi a escala que o avião fez na África. “Os ‘negão’ de lá falam uma fala diferente da nossa”, disse admirado. Para os Anicetos, nem mesmo Madri, capital da Espanha, é melhor do que o Crato. Eles lamentaram o fato de lá não ter feijão-de-corda no almoço. No lugar do feijão, segundo disseram, era servido uma fava parecida com azeitona.

Além da Banda Cabaçal, o grupo levou também o conjunto Flor de Pequi: com sanfona, triângulo e zabumba. O forró de pé de serra foi uma atração a parte para os portugueses. No jantar de despedida, os portugueses dançaram ao som da sanfona, zabumba e pífaro.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará