Focos de queimadas no Ceará ultrapassam 20 mil neste ano, diz Enel

As macrorregiões mais atingidas até então são Cariri, Sertão de Crateús e Centro Sul

Legenda: Condições propícias, como ventos fortes, altas temperaturas e baixa umidade ajudam no surgimento de queimadas
Foto: Honório Barbosa

Um levantamento do Sistema de Monitoramento e Alerta da Enel Distribuição Ceará aponta que o estado já atingiu 20.203 focos de queimadas em 2020. Segundo o órgão, se comparado ao mesmo período de outubro, o aumento foi de 54%.  Ainda de acordo com a Enel, somente na primeira quinzena de novembro foram mais de 4.900 focos em todo o Ceará. 

As macrorregiões mais afetadas são Cariri (3.939), Sertão de Crateús (3.697) e Centro Sul (3.223). Outras regiões do Ceará, como os sertões Central (2.230), de Sobral (1.674) e de Canindé (1.053) também apresentam registros expressivos, acima de mil focos.

Queimadas em outubro são elevadas, mas número é 35% menor do que em igual período de 2019

Setembro de 2020 tem 5º maior número de queimadas em 23 anos

Após o fim do período chuvoso e início do período mais seco no Ceará, o número de incêndios tem aumentado mensalmente. Litoral Leste (169), Maciço de Baturité (237) e Vale do Curu (518) aparecem com os menores registros de queimadas.

Registros de queimadas em 2019

Durante todo o ano de 2019, a distribuidora registrou um total de 53.671 focos de incêndios em todo o Ceará, sendo novembro o mês com maior incidência com 21.462 casos. 

A Região Sul também foi a mais afetada, somando 59% dos casos de todo o ano de 2019. Já os municípios com maiores registros foram Acopiara (2.637), Mombaça (2.187), Icó (1.640), Crateús (1.542) e Cedro (1.279).

Os três dias em que houve um maior número de focos contabilizados em 2019 foram 25 de outubro, com 1.773, seguido de 8 de novembro, com 1.581 e, em terceiro lugar, 15 de novembro, com 1.338.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará