Estudantes cearenses finalistas da Olimpíada de Língua Portuguesa

Alunos de escolas públicas cearenses da Capital e do Interior são finalistas da 4ª Olimpíada de Língua Portuguesa, que anunciará os vencedores da etapa nacional em dezembro

A 4ª Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro anunciou esta semana, em Brasília (DF), os alunos e professores finalistas nos gêneros Crônica e Artigo de Opinião, de todo o Brasil, para participar da etapa final do programa. Duas delas são de São Gonçalo do Amarante e um estudante é de Iguatu. As finalistas Joyce Almeida (Artigo de Opinião), que cursa o 2º ano; e Ester Raquel Ferreira (Crônica), do 1º ano, ambas da Escola de Educação Profissional Adelino Cunha Alcântara, foram premiadas com medalhas e tablets, e a escola receberá uma placa de homenagem. Já o iguatuense Lyedson Alves Silva, de 11 anos, aluno do 5º ano da Escola de Ensino Fundamental Carlota Távora, foi à final do gênero poema. Outros estudantes de Fortaleza também foram selecionados.

“Toda a escola está orgulhosa da Joyce e da Raquel, como também da Professora Diana, por terem mostrado toda a sua competência e habilidade para vivenciar esta experiência tão exitosa, em que o seu contexto social e cultural não precisou ser anulado para que ambas pudessem desenvolver seu potencial e serem agraciadas com a final de uma Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa”, comemorou o coordenador responsável pela Olimpíada na Escola Adelino Cunha Alcântara, professor Moisés Rodrigues.

Já o estudante Lyedson Alves Silva, de 11 anos, aluno do 5º ano da Escola de Ensino Fundamental Carlota Távora, em Iguatu, contou que a inspiração do texto saiu da própria família, através da sua avó. "O povo de Iguatu é muito religioso, e a minha avó, como uma grande devota foi me orientando. Com a ajuda da minha escola, da professora e dos colegas eu fui montando o texto".

A Olimpíada busca aprimorar a prática didática de professores de Língua Portuguesa da rede pública em todo o Brasil com o objetivo de desenvolver competências de escrita nos alunos e contribuir com a qualidade do ensino. Para isso, oferece aos docentes uma metodologia instigante, baseada no ensino e aprendizagem da língua por meio de gêneros textuais. A iniciativa é desenvolvida pelo Ministério da Educação (MEC) e pela Fundação Itaú Social, sob a coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

No Ceará, outros três estudantes disputam na categoria Artigo de Opinião, são eles: Gleiton de Souza Vasconcelos, Carlos Iury Holanda da Silva e Agna Ferreira Tavares, todos de Fortaleza. Já na categoria Crônica, outros três jovens cearenses também são finalistas: Marcelo Silva de Lima, Aracy Frutuoso Alves e Roberta Amanda Ferreira, todos também de Fortaleza.

A etapa final será realizada em dezembro e reunirá, no total, 152 finalistas selecionados em quatro gêneros textuais: Poemas, Memórias Literárias, Crônica e Artigo de Opinião. Entre eles serão escolhidos 20 alunos e 20 professores vencedores nacionais, que receberão medalhas de ouro e notebooks. As escolas nas quais estudam os 20 estudantes serão contempladas com laboratórios de informática, compostos por dez microcomputadores e uma impressora, projetor e telão, além de livros para a biblioteca.

Você tem interesse em receber mais conteúdo da região do Ceará?