Especialistas afirmam que ursos Kátia e Dimas têm "plenas condições" de permanecerem em Canindé

A partir da visita, foram apontadas algumas adaptações necessárias para a melhoria da qualidade de vida de Kátia e Dimas. A recomendação é que seja feita uma ampliação da estrutura do espaço onde os animais estão

Os ursos Kátia e Dimas, que vivem há cerca de 10 anos no Zoológico do Santuário São Francisco, em Canindé, estão "adaptados" e "têm plenas condições de permanecerem" no espaço, afirmaram especialistas nesta terça-feira (18). Membros do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) visitaram o equipamento na última segunda-feira (17) e, em entrevista ao Sistema Verdes Mares, destacaram que o zoológico garante o bem-estar dos animais, mas precisará fazer ajustes para melhorar a qualidade de vida dos ursos. 

A pedido do CFMV-CE, o presidente da comissão de animais selvagens do Conselho, Francisco Edson Gomes, e o zootecnista do Conselho Fernando Henrique Petrone emitirão um laudo técnico sobre as condições para a permanência dos animais no local até o fim da semana.

"Os animais estão bem. Já estão lá há bastante tempo, estão adaptados e apresentam um bom comportamento", afirma Francisco Edson. O perito acredita que os animais têm "plenas condições" de permanecerem no zoológico de Canindé, dado seus históricos e a adaptação.

LEIA MAIS

> Canindé faz campanha pela permanência dos ursos Dimas e Kátia 

> Zoológico de Canindé tem condições de abrigar ursos Kátia e Dimas, conclui parecer 

> Ursos permanecem em Canindé; Instituto Luisa Mell contesta 

> Zoológico ainda não foi notificado sobre pedido de resgate de ursos em Canindé 

> Santuário de Canindé declara que ursos só podem ser transferidos após parecer da Semace

Para Fernando Petrone, esses aspectos são fundamentais para avaliar o conforto dos ursos. "É importante frisar que o bem-estar é uma capacidade do animal, então, se ele consegue se adaptar e não está tendo prejuízos para a sua vida, ele está em condições de bem-estar", explica. O zootecnista relata que, no levantamento, foram analisados diversos comportamentos e aspectos como alimentação, ambiente e rotina para entender se os animais estão em estado de bem-estar ou não.

Recomendações

A partir da visita, foram apontadas adaptações necessárias para a melhoria da qualidade de vida de Kátia e Dimas. A recomendação é que seja feita uma ampliação da estrutura onde os animais estão. "O recinto vai quase dobrar o tamanho e também será feita a parte de ambientação, que é colocando equipamentos que são necessários para o animal lá dentro, como troncos, rochas, aumentar o tanque", diz Fernando Petrone. Segundo o especialista, os ajustes já aparentam estar sendo providenciados pelo zoológico.

"A gente acredita que essa ampliação vai facilitar mais ainda a vida do animal, porque é importante frisar o histórico. Esse animal tem dez anos no zoológico, mas passou quase dez anos em circo também, em condições bem complicadas", ressalta Fernando Petrone. O profissional ressalta que não é possível afirmar se os comportamentos de estresse que Dimas e Kátia apresentam é decorrente da vida no zoológico ou vem da época em que viveu no circo.
 

Você tem interesse em receber mais conteúdo da região do Ceará?

Assuntos Relacionados