Conselho de medicina ainda não foi notificado sobre profissional suspeito de crime sexual

Médico foi preso em flagrante suspeito de violência sexual contra paciente. Cremec deve realizar apuração sobre o caso

Legenda: Upa Baturité
Foto: Upa Baturité

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará (Cremec) ainda não recebeu notificação oficial sobre o caso do médico preso suspeito de praticar crime sexual em Baturité, no interior do Ceará, na última sexta-feira (14). A informação foi repassada, nesta segunda-feira (17), ao Sistema Verdes Mares pelo presidente do Conselho, Helvécio Neves Feitosa.

O profissional foi solto neste domingo (16), após pagar fiança acordada em audiência de custódia.

De acordo com a Delegacia Regional de Baturité, responsável pelo caso, ficou determinado que o médico teria o registro suspenso junto ao conselho de medicina até decisão da Justiça. Contudo, conforme o presidente do Cremec, a entidade só soube do caso pela mídia. “Ainda não foi formalizado uma denúncia aqui. Se não houver [a formalização da denúncia], como o Conselho tomou conhecimento do caso já, a gente tem a obrigação de instaurar um procedimento de apuração e, caso haja, de fato, indícios de transgressão ética, é instaurado um processo ético profissional”, esclareceu.

Ainda conforme a delegacia, o médico não poderia manter contato com a vítima ou testemunhas. Ele precisou pagar o valor de três salários mínimos de fiança.

Segundo Helvécio, o processo no Cremec resulta em um julgamento e as penas previstas na lei dos conselhos de medicina variam desde uma advertência confidencial até a cassação do registro profissional.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará

Assuntos Relacionados