Após decretar 'lockdown', Santana do Cariri apresenta redução nos casos da Covid-19

Através de decreto municipal, Prefeitura determinou isolamento social mais rígido e bloqueou ruas do Centro da cidade

Legenda: Em menos de um mês de lockdown, a curva de crescimento foi freada
Foto: Divulgação

Após adotar um isolamento social mais rígido, o chamado ‘lockdown’, a Secretaria de Saúde de Santana do Cariri identificou uma diminuição na curva de transmissão dos casos do novo coronavírus no Município. Mesmo com o avanço da doença em outros municípios do Cariri, houve uma queda de 1,4 novos casos por dia para 1 caso por dia. O lockdonw durou de 30 de maio até 20 de junho.

De acordo com o último boletim epidemiológico, Santana do Cariri apresenta 74 casos confirmados, dos quais cinco resultaram em óbito. Ainda há 20 pessoas sob investigação. Há sete dias, o número de confirmados era de 67, que representa um aumento de apenas um caso por dia.

Já na semana anterior ao lockdown, o salto foi de dez pessoas confirmadas com a doença, em apenas uma semana, saindo de 12, no último dia 24 de maio, para 22 no último dia 31. O Município tem população estimada em 17 mil pessoas. 

A título de comparação, a cidade de Farias Brito, também na região do Cariri, com população estimada em 18 mil habitantes, está 101 casos e, nos últimos sete dias, teve um aumento de 17 casos confirmados, uma média de crescimento de 2,4 casos por dia.   

De acordo com a Secretaria da Saúde de Santana do Cariri, a adoção do ‘lockdown’ se deu a partir de incidência de pessoas suspeitas e confirmadas com a doença, que adquiriu padrão ascendente com o surgimento de casos inicialmente no bairro Inhumas e, posteriormente, com a dispersão na sede da cidade.

“A nossa referência foi o aumento de suspeitos no Centro da cidade. Foram 11 pessoas numa mesma rua. Isso foi nosso alerta”, explica a secretária Aline Alencar. 

Bloqueio

Com o decreto, foram colocadas quatro barreiras de acesso ao centro com grades e fiscalização 24 horas, com a participação de profissionais de toda a rede de saúde e apoio das secretarias de Cultura e Educação. “Também obstruímos a saída para sítios e teve uma adesão muito boa”, pontua a secretária. 

Uma equipe de fiscalização circula fazendo orientação paras a população e auxilia a aquisição de alimentos e medicamos para pessoas do grupo de risco. “Também tivemos grande participação pela ouvidoria, onde denunciavam pequenos aglomerados”, destaca Aline. À noite, foram feitas abordagens com apoio da Polícia Militar, Policia Civil e Guarda Municipal. “Uma parceria fundamental para este momento”, completa. 

Queda

Após a consolidação dos dados em 20 de junho, foi observado o decréscimo acentuado de casos suspeitos e confirmados com a adoção do isolamento mais rígido. A análise do gráfico aponta que havia um incremento semanal médio de 71% de novos pacientes. Sem o ‘lockdown’, a estimativa é que nas duas semanas seguintes à adoção, haveria um incremento de 43 e 73 notificações em Santana do Cariri. 

“Foram 21 dias de controle e o resultado foi positivo. Mas não foi só isso. Fizemos aquisição de máscara para cada morador e distribuímos álcool em gel para as pessoas em maior vulnerabilidade”, enumera a secretária. Além disso, pessoas que apresentaram sintomas foram isoladas na unidade de apoio criada dentro do Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens.

“Um espaço de recuperação e isolamento para aqueles que não têm condições de se manter o distanciamento social”, observa. 

Outra cidade na região do Cariri que também adotou o isolamento mais rígido a partir de decreto municipal foi Jardim, que possui população de 26 mil habitantes. A determinação segue até hoje (23). A medida foi tomara para evitar, justamente, um aumento de pessoas infectadas. Em uma semana, o Município saltou de 11 casos confirmados para 28, mais que o dobro. 

Já por decreto estadual, ainda estão de ‘lockdown’ os municípios de Sobral, na região Norte, que teve o isolamento social mais rígido prorrogado até o próximo domingo (28); e Juazeiro do Norte, que apresenta um dos maiores aumentos da doença no Ceará. A medida na terra do Padre Cícero vigora por sete dias, contados a partir de ontem (22).