Memória viva

Cineteatro São Luiz é lembrado com carinho pelos fortalezenses, seja pela arquitetura icônica, seja pela programação diversificada.

saoluiz

A luz da telona ilumina os espectadores, assim como o Cineteatro São Luiz ilumina a capital cearense e os apreciadores da arte. Seja pela sua arquitetura  icônica, seja pelas histórias que conserva em seus recantos ou pela programação diversificada, o equipamento é lembrado com carinho pelos fortalezenses. Assim, Fortaleza também ganha destaque por meio do São Luiz, que abriga a sala com a maior média de espectadores por sessão de cinema no Brasil.

“Vejo o São Luiz como uma parte da história da cidade, bem como uma parte da história do cinema no Ceará. Para muitas pessoas, inclusive para mim, foi a primeira sala de cinema com que tiveram contato”, revela a artista visual Renata Froan, de 30 anos. Foi o mesmo que aconteceu com a empresária Suely Batista,  de 45 anos, e sua filha, Caroline Batista Melo, hoje com 25 anos. “A Carol foi pela primeira vez ao cinema no São Luiz. Levei-a lá porque eu ia a esse cinema quando criança, tem uma memória afetiva, a construção é linda e carrega uma parte da história da nossa cidade. Carol e eu continuamos indo frequentemente ao São Luiz e amamos!”, comenta a empresária.

Tanto Suely como Renata falam da programação diversificada e dos preços acessíveis como fatores que as levam ao local. De fato, 89,5% das atrações disponibilizadas em 2018 foram gratuitas, conta a Diretora do Cineteatro, Rachel Gadelha. “O São Luiz é um espaço da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, por isso todo ele reflete as políticas de valorização do artista do Ceará, de valorização da arte que é produzida aqui, o direito à cultura, a democratização do acesso à cultura, a cidadania, a inclusão”, aponta a gestora.

Ela confirma que 70,02% dos artistas que se apresentaram lá nos últimos quatro anos são cearenses. Para o sociólogo Francisco José Mesquita Bezerra, de 36 anos, frequentador assíduo dos equipamentos culturais do Centro de Fortaleza, o São Luiz é o seu espaço preferido. “Eu gosto muito da programação. Sempre  tem artistas interessantes, com atrações nacionais e locais, de qualidade e a preços populares. De uma a cinco vezes no mês eu vou lá”, relata o sociólogo

rachel
Evolução
No último mês, o Cineteatro São Luiz completou seu 61º aniversário. Na ocasião, houve sessão de cinema com mais de 450 pessoas na plateia, informa Rachel Gadelha (foto acima). “Cada vez mais o São Luiz está ocupando esse lugar de cinema de rua. Isso é uma conquista que a gente vem conseguindo devagarzinho, com tempo, foco e permanência”, resume a Diretora.

O carro-chefe do equipamento - tombado como patrimônio histórico e cultural pelo Governo Estadual em 1991 - é o cinema. Mas desde a reabertura, em 2015, ele se tornou cineteatro, abrigando espetáculos de música, teatro, circo, dança, humor, artes visuais, dentre outras linguagens. “Hoje a gente nota que a  população já percebe o São Luiz como um cineteatro, o que requer toda uma delicadeza na gestão para compatibilizar as diferentes linguagens. E isso fortalece o São Luiz como um espaço cênico também”, evidencia a Diretora.

Rachel ressalta ainda que as atividades realizadas no local em 2018 atingiram pessoas de 86% dos bairros de Fortaleza, dado que a gestora comemora junto ao fato de o São Luiz se reinventar. “Ele é eixo de acesso à cultura, de fruição, mas também de geração de novas economias, de novos circuitos que podem ser acionados. Percebemos que o São Luiz traz novas pessoas, novos fluxos, e isso é muito legal, não pelo que a gente já fez, mas pelo que ainda pode ser feito. A gente trabalha para a pessoa comum, que gosta de cultura, de arte, para que a população se aproprie do Cineteatro”, finaliza a gestora.

Saiba mais sobre o Cineteatro São Luiz e sua importância para a diversidade cultural em Fortaleza clicando aqui.

Em 2018:
- 89,5% da programação disponibilizada gratuitamente;
- Média dos valores praticados na venda de ingressos: R$ 24,48;
- 955 atividades (média de 80 atividades por mês), sendo:
. 760 sessões de cinema;
. 99 espetáculos musicais;
. 50 espetáculos de teatro / musical / humor;
. 19 espetáculos de dança;
. 27 edições de outros eventos.