Apoio e acolhimento

Conheça o trabalho da doula, profissional que presta assistência à mulher antes, durante e após o parto.

Quando a microempresária Nayara Oliveira, 23 anos, estava grávida em 2015, não fazia ideia do que era parto humanizado. “Fui procurar informações na minha família sobre o parto em si e vi que, para as mulheres da minha família, ainda era muito mistificado. Só descobri o que era o parto humanizado quando conheci a doula”, conta.

Para a jovem, a ideia de humanização do parto era algo inacessível às mulheres atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Achava que era o parto na banheira, domiciliar, algo de primeiro mundo. Na minha cabeça, só quem recebia esse atendimento eram as mulheres que iriam parir pelo plano de saúde, que poderiam pagar um apartamento dentro do hospital para ter o seu filho. E isso estava muito distante da minha realidade”, recorda.

A imagem de uma mulher acolhendo outra no momento do parto apresentou à Nayara Oliveira a figura e o papel da doula, profissional que presta assistência antes, durante a após o parto. A possibilidade de receber esse atendimento veio por meio da doula Amanda Oliveira. “A Amanda me deu informação, me ajudou a passar por todo o processo, não só pelo parto, mas pela minha gravidez difícil, me acolheu quando falei minhas questões sobre a maternidade, sobre ser muito nova e ela foi um apoio ali comigo. Eu não estava sozinha”, relata Nayara Oliveira.

trabalho da doula
Apoio psicológico na hora do parto. Blússia Tetis/Divulgação

O atendimento foi prestado de forma voluntária pela doula Amanda Oliveira, criadora do Coletivo Gaia, que oferece doulagem gratuita a adolescentes atendidas pelo SUS. Além do trabalho voluntário, realiza eventos e cursos sobre práticas de humanização do parto. “Nosso trabalho com adolescentes consiste em ir em locais onde a maioria são adolescentes, em comunidades onde a gente sabe que os índices de gravidez na adolescência são altos”, afirma Amanda Oliveira.

Como explica a profissional, o trabalho da doula é feito em três etapas: na gestação, durante e após o parto. “Na gestação o nosso papel é mais emocional e informacional. Para a grávida, é um momento de dúvidas e incertezas, então a doula vai trazer esse conforto, esse apoio para a gestante”. Durante o parto, além do apoio emocional e psicológico, a doula utiliza métodos não farmacológicos de alívio da dor, como massagens e técnicas de respiração. “O papel da doula nesse momento é a gestante saber que tem uma pessoa ali que entende daquele processo para ela se sentir mais segura”, completa Amanda Oliveira.

Amanda Oliveira
Amanda Oliveira: Na gestação o nosso papel é mais emocional e informacional.

No pós-parto, a profissional pode auxiliar a mãe nos primeiros cuidados com o bebê, amamentação e também o suporte emocional no puerpério. “Eu costumo desmistificar aquela frase que diz que ‘quando nasce um bebê, nasce uma mãe’. Na verdade, quando nasce um bebê, se constrói uma mãe. É um processo de construção. A mãe está aprendendo e o bebê também. A doula também dá esse suporte no pós-parto, oferecendo apoio e informações”, finaliza.