Ranger 2020

Versão intermediária da picape Ford Ranger 2020, modelo XLS, passa no teste. Conheça os detalhes.

ranger
Sem problemas para enfrentar buracos, lombadas e outras irregularidades do pavimento urbano e rodoviário, a Ranger 2020 mostra que também tem valentia de sobra no off road. Foto: Divulgação

Testamos a versão intermediária da picape Ford Ranger 2020, modelo XLS. O motor tem 2.2 litros, a diesel, com câmbio automático de seis velocidades. Com uma leve atualização visual - a segunda desde o lançamento da atual geração, em 2012, mudaram grade dianteira e para-choque frontal. O interior é  o mesmo de sua antecessora, reestilizada em 2016.

A grandalhona da Ford passa uma irresistível sensação de superioridade no trânsito urbano. Com excelente visibilidade, basta se acostumar com suas dimensões. Nessa versão, o forte é o torque em baixas rotações. Um veículo muito bom para quem precisa dele para trabalhos no campo, por exemplo.

Bonita por fora, por dentro tem conforto na medida. Outra novidade boa falando da traseira, a tampa de carga agora tem um feixe de mola que amortece suavemente o movimento inicial de abrir a tampa, o que reduziu o peso de deslocamento de 12 kg para 3 kg, podendo ser aberta ou fechada com apenas uma mão.

Na área urbana a picape se sai bem, com boa manobrabilidade na leve direção. Quando exigida, raramente precisa ir além dos 4.000 rpm. Os freios seguram bem seu enorme volume e peso, enquanto as curvas mais exigentes ainda fazem notar uma tendência de saída de traseira, normal em picapes de chassi de longarinas e com feixe de molas. Mesmo assim, ele garante um bom controle com seus sistemas de segurança ativa.

Sem problemas para enfrentar buracos, lombadas e outras irregularidades do pavimento urbano e rodoviário, a Ranger 2020 mostra que também tem valentia de sobra no off road, vencendo obstáculos, como rampas de elevada inclinação, valas sequenciadas, grandes declives e inclinação lateral de ângulo alto.

Com um conjunto bem resolvido, a Ranger 2020 se mostra uma picape raiz, quando se fala em dinâmica de condução, apesar de seu pacote tecnológico a colocar mesmo num patamar de SUV de luxo. Isso ela não é e nem quer ser, afinal, seu foco é atender aos que querem realmente uma picape, mesmo que ela não seja sempre assim tão “durona”.

Ficha técnica:
Motor:
2.2l, a diesel
Potência: 160 cv
Torque: 39,2 kgf.m
Câmbio: Automático, 6 velocidades
Preço: R$ 135.900
Fonte: Ford Crasa