Os dez mandamentos de um bom seguro para o seu carro

Siga as dicas de especialistas e evite dores de cabeça na contratação desse serviço.

seguro1
Foto: Banco de Imagens

A cena é bastante comum: o motorista compra um carro, emprega boa parte de suas economias, e somente depois vai procurar um corretor para fazer o seguro de seu veículo. Por não ter feito uma cotação antes e ter praticamente zerado suas reservas, insiste naquela “apólice no precinho”. E aí pode estar cometendo um tremendo erro. “O seguro melhor não é o mais barato, mas aquele que atende a todas as necessidades do dono do veículo”, sentencia Carlos Valle, Presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros de Pernambuco (Sincor-PE) e Diretor da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor).

O alerta do especialista é justamente para evitar que o motorista valorize apenas o preço e tire do contrato coberturas essenciais e pague por outras que podem ser dispensáveis. Pode parecer insano, mas a situação relatada é mais comum do que se imagina e acontece se o motorista não tiver os esclarecimentos necessários. E o corretor de seguros é o profissional mais adequado para solucionar o problema.

seguro2

O Presidente do Sindicato das Seguradoras do Norte e Nordeste (Sindseg), Múcio Novaes (foto acima), segue a mesma linha de raciocínio e diz que ser bem orientado pode fazer toda a diferença na hora de contratar um plano de seguros, pois é um especialista que vai apontar a melhor solução para cada situação. De acordo com ele, o seguro veicular se mostrou um instrumento de extrema importância social, porque garante o ressarcimento total de veículos que se envolvem em acidentes, incêndios e roubos, além de garantir de volta o patrimônio de muitas famílias que precisam desse veículo para ganhar sua renda. E saber fazer a escolha  correta é fundamental.

Estimativas do setor dão conta de que cerca de 30% da frota brasileira possui algum tipo de proteção. Apesar de o número significativo, executivos acreditam que mais gente poderia ter acesso a esse serviço se a população conhecesse a fundo as vantagens do seguro. Para ajudar motoristas e outros donos de veículos a fazer a melhor opção, selecionamos os dez mandamentos do seguro para ninguém errar na hora de contratar a apólice.

Dez mandamentos do bom seguro:

1- Procure um corretor de seguros, pois ele é o profissional legalmente habilitado para exercer a contratação de uma apólice. A importância do corretor não é somente na hora de atender um sinistro, mas oferecer toda assessoria na hora da contratação e durante a vigência do convênio. Hoje, existe uma enorme oferta de planos de seguros e só ele vai auxiliar o motorista a encontrar um produto que o atenda com o melhor custo.

2- Explique a sua necessidade ao corretor. Isso vai ajudar a estabelecer o melhor percentual da tabela Fipe, que varia de 80% a 110%. Lembre-se que em caso de perda total, a seguradora poderá indenizar até 10% a mais que o valor do veículo. A verba extra é necessária porque vai ajudar o cliente nas despesas do novo veículo como licenciamento, seguro etc.

3 - O cliente deve olhar atentamente para o valor de franquia. O motorista pode estabelecer as opções de franquia normal ou reduzida. É sempre bom simular cada uma delas para ver em quanto o valor vai aumentar (caso se opte pela franquia reduzida) ou diminuir (se ele escolher a franquia normal).

4 - A cobertura a terceiros é outra questão polêmica. Qual o melhor valor para cobrir danos, materiais, corporais e morais a terceiros - nunca se sabe se vamos ser responsabilizados por um acidente e que valores serão apontados. Geralmente os motoristas colocam R$ 20 mil para cobrir esses gastos, mas se o cliente pedir para aumentar o valor para R$ 50 mil, o custo na apólice não sobe nem R$ 35.

5 - Ficar atento ao item de Assistência 24 horas, a distância de cobertura e outros serviços extras possíveis de serem inclusos na cláusula. As assistências prestam serviços diferentes, como a área de cobertura. A distância para rebocar, por exemplo, varia de 100 km a 400 km. Se o cliente costuma viajar, é interessante optar pela maior. Mas se ele não sai da cidade pode dispensar o serviço e evitar um gasto desnecessário. 

6 - Preste o máximo de informações possível para que seja construída uma proposta para sua realidade – é muito importante que esses dados estejam corretos, pois além de se chegar ao preço justo, o cliente terá mais subsídios se tiver de reclamar algo. Com isso, a busca por um preço melhor será eficiente. 

7 - Para cotar preços, é muito importante que todas as condições sejam iguais em todas as propostas. Às vezes, o cliente percebe uma variação porque o  outro lado pode suprir alguma cobertura. O cliente fecha pelo preço mais baixo e deixa de acrescentar um serviço fundamental para ele e que pode passar despercebido na hora da contratação. 

8 - Daí a dica dos especialistas. Após acertar a contratação, solicite um recibo detalhado, ou uma cópia da proposta, já que a apólice será emitida e enviada posteriormente. Nunca permita que seja colocado um endereço que não seja o seu e confira todos os dados. Se houver dificuldades, converse novamente com seu corretor para que juntos façam esta conferência.

9 - Ao receber a apólice, confira tudo que foi pedido: marca, ano, modelo, placa, endereço, forma de pagamento, carnê ou quitação, franquia, percentual da tabela Fipe, assistência 24 horas e valores para danos a terceiros. 

10 - Nunca compre um seguro para simplesmente atender a um pedido de financiamento ou para ter o cadastramento aprovado. É importante ter a consciência do que está levando para casa. O comprador vai ficar com a ilusão de estar bem assegurado e não está, porque nada ali foi discutido. 

Fique alerta
- Quem repassa informações erradas está praticando uma fraude;
- Se você não costuma sair do Estado, pode dispensar serviço de reboque em Estados vizinhos;
- Apesar de muita gente não saber, a apólice cobre danos causados por enchentes nos carros, como em grandes temporais;
- 9 meses é o tempo que leva para se formar um corretor;
- 12 de outubro é o Dia do Corretor de Seguros.