PDT lança pré-candidatura oficial de Ciro Gomes à Presidência nesta sexta-feira (21)

Decisão do pedetista de disputar a Presidência traz impactos para as articulações no Ceará

Ciro Gomes pretende lançar a pré-candidatura na próxima sexta-feira
Legenda: Ciro Gomes pretende lançar a pré-candidatura na próxima sexta-feira
Foto: Fabiane de Paula

O PDT deve lançar na tarde da próxima sexta-feira (21), a pré-candidatura oficial de Ciro Gomes para à Presidência da República. O evento em Brasília chegou a ser adiado devido ao aumento de casos de Covid-19 no País, mas o partido recuou da decisão e passou a exigir comprovante de vacinação para o ato. 

Derrotado na disputa em 2018, Ciro mantém desde então uma forte agenda de olho no Planalto. Ao longo desse tempo, ele se coloca como alternativa ao atual presidente Jair Bolsonaro (PL) e ao ex-presidente Lula (PT). 

Nas pesquisas de intenções de voto divulgadas até agora, o pedetista aparece oscilando entre a terceira e a quarta posição, ao lado do ex-juiz Sergio Moro (Podemos). 

Impactos no Ceará

A candidatura de Ciro, principalmente como um nome de oposição a Lula, também desperta preocupações no Ceará. PT e PDT formam uma aliança histórica no Estado e os constantes ataques feitos pelo pedetista contra o petista já causaram insatisfação em aliados do ex-presidente no Ceará. 

Os deputados federais José Airton Cirilo e Luizianne Lins, por exemplo, são defensores de uma ruptura com o PDT no Ceará. Por outro lado, a ala do PT mais próxima ao deputado federal José Guimarães articula a manutenção da parceria entre as siglas. O governador Camilo Santana (PT) também é um dos maiores entusiastas dessa aliança. 

Pressão contra Ciro

Em dezembro deste ano, Ciro e o irmão, o senador Cid Gomes (PDT), foram alvos de uma operação da Polícia Federal de combate a fraudes na obra da Arena Castelão. Segundo o pedetista, a ação tinha como objetivo fazê-lo recuar da pré-candidatura.

"Não tenho dúvida de que esta ação tão tardia e despropositada tem o objetivo claro de tentar criar danos à minha pré-candidatura à presidência da república. Da mesma forma tentaram 15 dias antes do primeiro turno da eleição de 2018", declarou.

À época, a operação cumpriu 14 mandados de busca e apreensão no Ceará e em outros três estados para apurar fraudes e corrupção nas obras da Arena Castelão, entre 2010 e 2013.