Em visita ao Ceará, pré-candidato da UP à presidência da República defende plebiscitos para governar

Leonardo Péricles cumpre agenda no Ceará

Escrito por Wagner Mendes,

PontoPoder
Legenda: O pré-candidato cumpre agenda no Cariri
Foto: Atson Leles

O pré-candidato à presidência da República, Leonardo Péricles (Unidade Popular), defendeu, nesta segunda-feira (27), a realização de plebiscitos e refendos para administrar o País. O presidenciável cumpre agenda no Ceará nesta semana para promover a pré-candidatura.

Em entrevista ao Diário do Nordeste, momentos antes de um evento na Universidade Federal do Ceará, Leonardo argumentou que a agenda do partido tem como foco a distribuição de renda para a população mais vulnerável economicamente — onde se concentra a maioria dos brasileiros.

Ele defendeu a suspensão do pagamento da dívida pública e uma auditoria nas contas com o objetivo de garantir dinheiro para investimentos na área social. Segundo ele, 1% da população hoje governa para todo o País.

"Se a urna eletrônica é tão rápida para tomar decisão, então não precisa ser usada só de dois em dois anos para as pessoas votarem. Ela pode ser usada, por exemplo, para convocar plebiscitos e referendos revogatórios", defendeu.

Como alvo de um possível revogatório, caso vença as eleições, o pré-candidato citou a reforma trabalhista aprovada no governo do então presidente Michel Temer (MDB).

"Nós consideramos que é necessário convocar o povo brasileiro para governar o nosso País, coisa que nunca aconteceu na nossa história recente", disse.

Agenda

O presidente nacional da UP cumpre agenda segunda e terça no Ceará. No primeiro dia, Leonardo esteve em Caucaia e Fortaleza, realizando visitas e promovendo debates sobre o programa de governo.

Nesta terça (27) o pré-candidato visita os municípios de Juazeiro do
Norte, Crato e Barbalha para participar de panfletagem e plenárias na região do Cariri.

A pré-candidatura presidencial da legenda foi oficializada em novembro do ano passado.

UP

Será a primeira vez que a Unidade Popular (UP) terá candidatura presidencial. O partido ganhou o registro em 2019, após a coleta de 1,2 milhão de assinaturas.

A legenda não estipula metas de cadeiras para o legislativo. A prioridade no momento é lançar candidaturas e debater propostas de desenvolvimento.

Assuntos Relacionados