Desembargador Antônio Pádua Silva morre aos 63 anos em Fortaleza

O magistrado sofreu um mal súbito durante a madrugada

Escrito por Alessandra Castro, alessandra.castro@svm.com.br

PontoPoder
fotografia
Legenda: Pádua se tornou desembargador do TJCE em 2019, depois de mais de 30 anos de magistratura
Foto: Divulgação/TJCE

O desembargador Antônio Pádua Silva, do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), faleceu, na madrugada desta sexta-feira (1º), aos 63 anos, após ter um mal súbito. Na quinta-feira (30), o magistrado havia cumprido o expediente normalmente. 

Com quase 35 anos de magistratura, ele se tornou desembargador em 2019, após ser escolhido pelo critério de antiguidade. O TJCE decretou luto de três dias no Poder Judiciário cearense.

Pádua Silva integrava a 2ª Câmara Criminal, a Seção Criminal e Pleno do Tribunal, além de coordenar dentro da Corte a Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp). Ele faria 64 anos no próximo mês.

Por meio de nota de pesar, a presidente da Corte cearense, desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira, prestou condolências à família do desembargador e destacou o legado do colega.

"A Corte recebeu a notícia com muita perplexidade e tristeza. O desembargador Pádua, que eu considerava jovem ainda, era um magistrado vocacionado e exercia o seu mister com muito zelo e compromisso. Fomos colegas de concurso para a magistratura. Deixará muitas saudades, mas igualmente o legado de uma vida proba e dedicada à judicatura”
Nailde Pinheiro
Presidente do TJCE

O corregedor-geral de Justiça, desembargador Paulo Airton Albuquerque Filho, também lamentou a morte do magistrado.

"A vida nos pregando e impondo situações inesperadas. Difícil de acreditar. Nesta madrugada partiu para sua última morada o nosso colega desembargador Pádua. Magistrado ético, sério, comprometido com a instituição e um parceiro institucional de primeira linha. Fica com Deus direto, colega", frisou.

O ex-governador Camilo Santana (PT) fez publicação de pesar pela partida precoce de Pádua, assim como a governadora Izolda Cela (PDT).

Por meio das redes sociais, a Associação Cearense de Magistrados (ACM) solidarizou-se com a família do desembargador e chamou todos os associados para um momento de oração e reflexão.

Legado

Natural do município de Missão Velha, na região do Cariri, Antônio Pádua Silva tornou juiz do TJCE em 1987, aos 29 anos. Inicialmente, atuou em Aracoiaba e respondeu pelas Comarcas de Redenção, Itapiúna, Pacajus e Baturité. Também passou por Crateús e Acopiara, onde foi juiz eleitoral.

Em 1996, Pádua foi promovido para Fortaleza, como magistrado da 5ª Vara de Execução Fiscal. Na Capital, antes de se tornar desembargador do TJCE em 2019, foi juiz auxiliar da Presidência e Corregedoria.