Deputado cearense apresenta projeto para levar "sommeliers de vacina" ao fim da fila

Proposta de Célio Studart (PV) prevê que os "sommeliers de vacina" sejam imunizados somente ao fim do calendário do Plano Nacional de Imunização

Legenda: Prática pode atrasar fila da vacinação no País
Foto: José Leomar

Quem tem o costume de rejeitar a vacina disponível no dia do seu agendamento na sua cidade por preferir outro imunizante deve ficar de olho em uma proposta protocolada na Câmara dos Deputados nesta sexta-feira (2). Assim como alguns prefeitos brasileiros, legisladores de Brasília podem reprimir os chamados "sommeliers de vacina".

O projeto de lei nº 2415/2021, apresentado pelo deputado cearense Célio Studart (PV), determina que os adeptos a essa prática sejam vacinados apenas após o fim de todo o calendário do Plano Nacional de Imunização (PNI).

O controle deve ser feito com a assinatura de um termo de recusa por parte da pessoa ou por duas testemunhas no local. Esse documento é encaminhado ao Ministério da Saúde e incluído nos sistemas de controle da fila. 

"Nunca tinha visto ninguém ficar escolhendo vacina. Alguém questiona a marca da vacina da gripe? Agora, em meio a uma pandemia, com mais de 520 mil mortos, com a dificuldade que estamos enfrentando pela escassez de imunizantes,  tem gente querendo escolher? Pode até fazer isso, mas vai fazer do final da fila", diz o deputado.

O texto ainda lembra que apenas imunizantes liberados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) são aplicados no País, ou seja, são "comprovadamente eficazes e seguros", não deixando margem para desconfiança da população.