Combate à pandemia uniu base e oposição na Câmara Municipal de Fortaleza, diz presidente da Casa

Em entrevista exclusiva, Antônio Henrique fala dos desafios impostos pela crise sanitária na rotina da Câmara e o impacto nos trabalhos

Os desafios impostos pela pandemia ao Legislativo municipal também permitiram a criação de diálogos entre vereadores da base aliada à Prefeitura e a oposição na Câmara Municipal de Fortaleza. Presidente da Casa desde 2019, Antônio Henrique (PDT) destacou, nesta terça-feira (29), em entrevista ao Sistema Verdes Mares, o apoio dos parlamentares a propostas de enfrentamento à crise sanitária na Capital, independentemente do alinhamento com o governo. 

No segundo mandato à frente da Câmara, o pedetista também detalhou a produção legislativa em 2021, apesar das limitações causadas pelo trabalho remoto. Até o dia 30 de maio, os vereadores apresentaram 1.068 matérias na Casa - número equivalente a todo o ano de 2020, de acordo com o presidente. 

"Ano passado mesmo, tivemos que nos reinventar quando começamos a realizar sessões de modo virtual. Foi uma inovação imposta pela pandemia, mas estamos conseguindo dar conta do trabalho. Em nenhum momento, a Câmara deixou de legislar em virtude da pandemia", ressaltou. 
Antônio Henrique
Presidente da CMFor

Enfrentamento à pandemia na Capital

Desde março de 2020, quando as sessões na Casa tiveram de ser suspensas por causa do avanço da pandemia no Ceará, vereadores de Fortaleza têm analisado matérias com foco no combate desta crise. 

Desde auxílios voltados a setores da população até a permissão para convênio que permitiu manter o preço da passagem do transporte coletivo, muitas propostas passaram pela Casa e tiveram o aval não apenas dos vereadores alinhados à Prefeitura de Fortaleza, como também da oposição. 

Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Antônio Henrique
Legenda: Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Antônio Henrique
Foto: Fabiane de Paula

"Em muitas matérias, tivemos aprovação com o voto da oposição, porque essa oposição entende que o que estamos votando não é para beneficiar um governo, mas sim para trabalhar em favor do povo da nossa cidade", afirma Antônio Henrique. 

Ele aponta que o apoio da oposição vem desde a gestão do ex-prefeito Roberto Cláudio (PDT), encerrada em dezembro de 2020, e continua com José Sarto (PDT) à frente do Executivo municipal. 

Plano Diretor

O foco na pandemia também acabou atrasando propostas como a revisão do Plano Diretor de Fortaleza - que tinha a previsão de chegar à Casa ainda em 2020. 

"O fato dela não ter vindo tem muito a ver com a mudança de rumo que tivemos que tomar desde o ano passado. (...) Estamos mais focados na questão da vacinação e também para os preparativos de aumento de leito, hospitais para quem precisa de atendimento", afirma o presidente da Câmara. 

Crescimento de propostas apresentadas

Antônio Henrique também destacou o aumento no número de proposições apresentadas pelos vereadores de Fortaleza. Até o último dia 30 de maio, foram 1.068 propostas parlamentares protocoladas na Câmara Municipal de Fortaleza.

O número equivale ao de projetos apresentados durante todo o ano de 2020 na Casa. 

"Estamos falando de cinco meses. Isso mostra que os vereadores de Fortaleza estão bem atentos a discussões e a apresentar propostas, sugestões, ideias para facilitar e ajudar a vida das pessoas da cidade", elogia.