Com Moro fora do Podemos, Eduardo Girão é um dos nomes cotados para disputa presidencial

Executiva nacional do partido analisa lançar chapa pura para a presidência da República

Escrito por Luana Barros, luana.barros@svm.com.br

PontoPoder
Eduardo Girão
Legenda: O nome do senador é um dos cotados para integrar eventual chapa do Podemos na disputa presidencial
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

A saída do ex-juiz Sérgio Moro (União Brasil) do Podemos, no final de março, não enterrou os diálogos para uma candidatura do partido à presidência da República. A legenda avalia lançar uma chapa pura - ou seja, formada apenas por filiados ao Podemos - para a disputa presidencial. Entre os nomes avaliados para integrar a chapa está o do senador cearense Eduardo Girão (Podemos).

Qualquer definição, no entanto, só deve sair próximo ao prazo das convenções partidárias - que inicia no dia 20 de julho. Não existe, inclusive, previsão se o cearense poderia figurar como candidato a vice ou a presidente. 

Por enquanto, existe apenas uma discussão de quais quadros da legenda poderiam estar mais aptos a ingressar na disputa presidencial. Além de Girão, o senador Álvaro Dias (PR) e o ex-ministro Santos Cruz também são apontados como possibilidades para a candidatura do partido ao Planalto. 

A informação é da assessoria da Executiva nacional do partido, que acrescentou que o senador Eduardo Girão "é um nome importante do partido" e "representa uma postura ética e de credibilidade", logo se cacifa como nome para a integrar a candidatura. 

Candidatura própria

Presidente do Podemos no Ceará, Fernando Torres citou reunião ocorrida em abril, na qual a presidente nacional da legenda, a deputada Renata Abreu, teria pedido para Eduardo Girão colocar o nome à disposição. 

"Em uma reunião interna, que aconteceu no mês retrasado, a presidente nacional mencionou, fez o pedido para que o senador colocasse o nome à disposição. Ele não falou, mas houve o gesto (da Executiva nacional)", detalha. 

O Diário do Nordeste entrou em contato com a assessoria de imprensa de Eduardo Girão sobre o assunto e, quando houver resposta, a matéria será atualizada. 

Contudo, o senador já defendeu, em mais de uma ocasião, a candidatura própria do Podemos à presidência, como forma de oferecer uma "alternativa a essa polarização" na disputa presidencial. 

"Existe uma boa perspectiva de que o Podemos lance um nome, uma alternativa, para oferecer à sociedade brasileira uma opção à luz da razão, do bom senso, com propostas para o Brasil sair dessa polarização", disse em entrevista à CNN no início de maio.