Vacinação contra Covid em Fortaleza começa quarta (20); Sarto diz que Município está preparado

O prefeito de Fortaleza participou de reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo; entre as solicitações feitas ao ministro, está a priorização de profissionais da educação nas fases previstas para vacinação

Sarto e prefeitos
Legenda: Sarto participou da reunião do Fórum Nacional de Prefeitos (FNP) com o Ministério da Saúde nesta quinta-feira (14)
Foto: Divulgação

O prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, confirmou que o início da vacinação contra a Covid-19 em Fortaleza está previsto para a próxima quarta-feira (20). A informação foi anunciada em reunião nesta quinta-feira (14) com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O chefe do Executivo municipal disse ainda que a Secretaria de Saúde da Capital está com infraestrutura preparada para receber as doses do imunizante - que devem começar a ser distribuídas na segunda (18). A infraestrutura para a aplicação das vacinas foi organizada em parceria com o Governo do Estado. 

Sarto Nogueira participou de reunião do Fórum Nacional de Prefeitos (FNP) com Eduardo Pazuello e parte da equipe do Ministério da Saúde, na manhã de hoje. Mais de 130 prefeitos participaram da reunião.

Segundo o pedetista, serão distribuídas, pelo Governo Federal, 8 milhões de doses - de maneira proporcional. Pazzuelo informou que serão 2 milhões do modelo de Oxford/AstraZeneca e 6 milhões da Coronavac. Estes imunizantes serão entregues no Brasil pela Fiocruz e pelo Instituto Butantan, respectivamente.

Professores

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidirá no domingo (17) se libera ou não o uso emergencial destes dois imunizantes. Após este aval, as doses poderão ser aplicadas na população.

Não foi informado, contudo, quantas serão destinadas a Fortaleza ou ao Ceará.

Os primeiros grupos a serem vacinados incluem profissionais da saúde, idosos com mais de 75 anos residentes em instituições de longas permanências e indígenas maiores de 18 anos. 

Parte dos gestores municipais, incluindo Sarto Nogueira, solicitaram a equipe do Ministério da Saúde a inclusão de profissionais da educação nas fases prioritárias de vacinação.

"Estamos tentando sensibilizar o ministro da Saúde para que esse faseamento seja revertido e a vacinação para trabalhadores em Educação seja antecipada, para que possamos, tão logo quando possível, ter o retorno seguro às aulas presenciais", ressaltou Sarto. 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política