Tasso Jereissati cobra posicionamento 'claro e firme' do ministério da Saúde sobre isolamento

Para Tasso, falas e comportamentos do presidente Jair Bolsonaro, além da posição dúbia do ministério da Saúde sobre a importância do isolamento social, têm contribuído para que as pessoas descumpram as medidas de isolamento e espalhem a doença

Legenda: "De um momento para cá, e pode coincidir ou não com o momento que vossa excelência assumiu o ministério da Saúde, o distanciamento social caiu dramaticamente no País", alertou o senador
Foto: Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador Tasso Jereissati (PSDB) cobrou, nesta quarta-feira (29), ao ministro da Saúde, Nelson Teich, um posicionamento claro e firme sobre o isolamento social. O titular da Pasta participou da sessão remota no Senado, para apresentar medidas de enfrentamento ao novo coronavírus.

Na ocasião, Tasso destacou uma fala do ministro, que afirmou que a única medida eficaz hoje é o isolamento social, para cobrar clareza no posicionamento do Ministério a ser passado para a população, já que atitudes do presidente se contrapõem à recomendação.

"Aqui no Ceará, de ontem para hoje, foram quase 50 mortos. No Brasil, 449. E vossa excelência disse: a única maneira que nós temos (para combater a Covid-19) é o distanciamento social. Ministro, seja firme e claro nessa posição. Não pode haver dubiedade, principalmente quando o presidente dá sinais contrários", ressaltou o senador cearense.

Para Tasso, falas e comportamentos do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), além da posição dúbia do ministério da Saúde sobre a importância do isolamento social, têm contribuído para que as pessoas descumpram as medidas de isolamento e espalhem a doença.

"De um momento para cá, e pode coincidir ou não com o momento que vossa excelência assumiu o ministério da Saúde, o distanciamento social caiu dramaticamente no País. E os número de casos subiram. E vossa excelência acabou de dizer que tem dificuldade de (adquirir) respiradores, leitos de UTI, etc. Então, não há momento para indecisão. Isolamento social, sim ou não? Se é por região, qual tem que ter e qual não?", indagou Tasso.

Nesta quarta, o Brasil chegou a marca de 78.162 casos da doença confirmados, sendo 6.276 somente nas últimas 24 horas. Desse número, 5.446 pessoas morreram, sendo 449 novos óbitos confirmados de ontem para hoje.

Com as atualizações, o Brasil passou a ser o 2º país do mundo com mais novos casos da doença, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, e o quarto com mais novos óbitos, nas últimas 24 horas. 

O Ceará tem 7.409 casos confirmados da doença, sendo 450 mortes. De ontem para hoje, o aumento foi de 35 novos óbitos pela Covid-19.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política