STJ manda soltar Pezão, ex-governador do Rio, e impõe uso de tornozeleira

Pezão também estará proibido de ocupar cargos ou funções públicas no estado ou no município do Rio de Janeiro, enquanto durar o processo

Legenda: Ele só poderá deixar o Rio com autorização judicial e deve informar a Justiça sobre qualquer operação bancária superior a R$ 10 mil
Foto: Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Preso desde novembro de 2018, o ex-governador do Rio pelo MDB Luiz Fernando Pezão será liberado nas próximas horas graças a uma liminar concedida pela Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Pela decisão, Pezão terá que usar tornozeleira e não poderá sair de casa no período das 20h às 6h. Ele estava preso no Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, desde novembro do ano passado, quando ainda era governador.

O ex-governador é réu na Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, acusado de integrar esquema de corrupção chefiado pelo também ex-governador Sérgio Cabral, de quem foi vice.

Além desses compromissos, ele terá que comparecer em juízo quando solicitado e estará proibido "de se aproximar e de manter contato pessoal, telefônico ou por meio eletrônico ou virtual com os outros réus ou pessoas acusadas de pertencer à mesma organização criminosa".

Pezão também estará proibido de ocupar cargos ou funções públicas no estado ou no município do Rio de Janeiro, enquanto durar o processo.

Ele só poderá deixar o Rio com autorização judicial e deve informar a Justiça sobre qualquer operação bancária superior a R$ 10 mil.