Sete deputados entram na disputa para prefeito

O envolvimento dos parlamentares na campanha eleitoral deste ano já surte efeitos na Assembleia

A movimentação dos deputados por conta das eleições municipais deste ano está bastante expressiva. Apesar de não ser uma eleição para a escolha de cargos estaduais e federais, o número de parlamentares estaduais que irão participar deste pleito, direta ou indiretamente, é significativo e já está surtindo efeito para as atividades da Assembleia Legislativa que enfrenta o esvaziamento nas sessões.


O deputado Rogério Aguiar não vai se candidatar, mas apoiará o filho na disputa eleitoral pela Prefeitura do município de Marco FOTO: JOSÉ LEOMAR

Dos 46 parlamentares estaduais, sete serão candidatos à prefeito e um a vice-prefeito. Esse número pode aumentar já que sábado, 30, é o último dia para a realização das convenções partidárias. Ou seja, data final para que candidatos à Prefeitura e Câmaras Municipais homologuem suas candidaturas.

Apoio

Pelo menos dois deputados disputarão a Prefeitura de Fortaleza: o atual presidente da Assembleia, deputado Roberto Cláudio (PSB) e o deputado Heitor Férrer (PDT). A deputada Eliane Novais (PSB) também pretendia concorrer ao Paço Municipal, mas seu nome não foi aceito no partido e não teve o apoio do governador Cid Gomes.

A candidatura de Heitor Férrer já vinha sendo anunciada antes de iniciar o período de convenções. Já a participação de Roberto Cláudio na eleição, só foi divulgada faltando apenas dois dias para a convenção do PSB.

Outros deputados também anunciaram com antecipação que pretendem trocar o cargo de deputado estadual pelo de prefeito. Foi o caso do deputado Sineval Roque (PSB), que em março, já havia deixado claro ser o nome cotado pelo partido, para disputar a Prefeitura de Crato.

A deputada Mirian Sobreira (PSB) concorre a prefeitura do Iguatu, Vanderley Pedrosa é o candidato do PTB em Ipueiras e os suplentes Perboyre Diógenes (PMDB) e Cirilo Pimenta (PSD) concorrem à Prefeitura de Saboeiro e Quixeramobim, respectivamente. O deputado Fernando Hugo (PSDB) também entra para a lista dos que concorrerão a este pleito. O tucano foi o escolhido para ser vice-prefeito do candidato Marcos Cals (PSDB).

Cargo

Mas quem não participa diretamente da eleição, com o nome concorrendo a um cargo, apoia candidatos bem próximos: pessoas da família. São nove os parlamentares que vão dar apoio a esposa, filho, marido, irmãos, pais e sobrinhos. Um exemplo é o deputado Fernando Hugo que vai apoiar o filho para a Câmara Municipal de Fortaleza.

A deputada Rachel Marques (PT) dará apoio a candidatura do marido, Ilário Marques (PT) para prefeito de Quixadá, município que já foi gerido pelo petista. O deputado Júlio César Filho (PTN), dará suporte a candidatura de seu pai, o ex-deputado Júlio César (PSD), para retornar à Prefeitura de Maracanaú.

O deputado Sérgio Aguiar (PSB) era cogitado para concorrer à Prefeitura de Camocim, mas não aceitou a tarefa e vai da suporte a candidatura da esposa. Outros três deputados se dedicarão a candidatura dos filhos que disputarão a vaga de prefeito em cidades do Interior.

É o caso do deputado Rogério Aguiar (PSD), que dará apoio ao filho, candidato em Marco. Welington Landim (PSB) apoiará a reeleição do filho, Guilherme Landim, em Brejo Santo. José Albuquerque (PSB) também ajudará a eleger seu filho para prefeito, no município de Massapê.

Já o deputado Tin Gomes (PHS) dará suporte ao seu sobrinho, vereador Paulo Gomes (PMDB), que tentará manter mais quatro anos de mandato na Câmara Municipal de Fortaleza. A vereadora Magaly Marques (PMDB) também tentará se reeleger e conta, para isso, com a ajuda do seu irmão, o deputado Carlomano Marques (PMDB).

Até o momento, o único parlamentar que está licenciado é Vanderley Pedrosa. Os parlamentares que disputarão a eleição não falaram em tirar licença, até porque a Casa entrará de recesso parlamentar no dia 17 de julho, retomando as atividades no início de agosto. Há ainda a possibilidade de recesso branco.
Quero receber conteúdos exclusivos sobre política