Sarto promete, se eleito, construir 5 mil moradias na Capital

Candidato do PDT, entrevistado ontem pelo PontoPoder Eleições, propõe criar mais 48 areninhas, caso vença a disputa municipal no próximo domingo. Pedetista também destacou plano de construção de quatro novos terminais

Legenda: Sarto Nogueira (PDT) foi o entrevistado de ontem do programa PontoPoder Eleições, da TV Diário
Foto: Gustavo Pellizzon

O pedetista Sarto Nogueira, postulante ao Paço Municipal, garantiu que construirá 5 mil unidades habitacionais em Fortaleza. O candidato disse ainda que, se eleito, pretende instalar 48 novas areninhas, expandir o projeto “Escola Areninha” para 100 unidades - hoje existe apenas uma, no bairro Pirambu - e prometeu também a implantação de novos terminais de ônibus.  Ele disse ainda que sua gestão vai priorizar os grupos de risco na vacinação contra a Covid-19 e que essa imunização será realizada em casa. 

As declarações foram concedidas na noite de ontem (26) ao programa PontoPoder, da Tv Diário, que na quarta-feira entrevistou Capitão Wagner (Pros), também postulante à Prefeitura de Fortaleza. 

Sarto tem o apoio de 16 partidos, sendo 6 adesões anunciadas no segundo turno. Ele garante que “não houve nenhuma reivindicação de qualquer que seja o partido” no sentido de pleitear cargos em uma eventual formação de seu secretariado. “Nossa missão vai para além de questões partidárias. O que nos une é um projeto único por Fortaleza”. 

Questionado se há nomes cotados para ocupar pastas em evidência diante da pandemia da Covid-19, como a Secretaria da Saúde, ele disse que “qualquer escolha só será feita após a eleição”, mas garantiu “que todos os nomes atenderão a um perfil técnico”. 

Propostas 

Durante a entrevista, o pedetista reconheceu que atualmente há um grande déficit habitacional em Fortaleza, mas ressaltou que a construção de novas moradias irá reduzir essa lacuna. Segundo o candidato, a Prefeitura vai erguer 5 mil habitações “em locais onde já há infraestrutura, como postos de saúde, escolas e praças”. Ele descarta a continuidade do modelo condominial, “por demandar grande presença e investimento da Prefeitura”, e disse apostar na construção de “blocos de residências por regionais, sendo mais viável por já existir infraestrutura”. 

O prefeiturável antecipou que “essa proposta é viável” e disse que o Governo do Estado também acenou com a construção de novas 5 mil moradias na Capital. 

Sobre os desafios quanto à mobilidade urbana, Sarto defendeu a construção de quatro novos terminais. “Um já está praticamente definido, vai ser na Barra do Ceará”. Para definir os demais terminais, Sarto disse que sua equipe vai realizar estudos de origem-destino para “identificar os chamados trajeto negativos, que é quanto um passageiros faz uma grande volta para chegar em determinado lugar”. O objetivo da proposta de expansão dos terminais é melhorar o fluxo do transporte público. 

Educação 

Caso eleito, Sarto prometeu construir 48 novas areninhas que se somarão as 62 já existentes em Fortaleza. 
Das 110, ele prometeu expandir o projeto “Escola Areninha”, para cem delas. A proposta contempla a implantação de “contêineres” em cada areninha, com oferta de reforço escolar nas disciplinas de matemática e português e alimentação para os jovens. 
“O custo é bem barato, em torno de R$ 300 mil”, pontuou, ao ilustrar a viabilidade do projeto. 

Cada Escola terá três contêineres, com capacidade de atender até 160 alunos. “Eles serão assistidos no contraturno. O objetivo é integrar educação e práticas esportivas”, completou o pedetista.

Além disso, candidato do PDT prometeu implantar mais duas unidades dos Centros Urbanos de Cultura, Arte, Ciência e Esporte, a chamada “Rede Cuca”.

Recuperação econômica

Questionado sobre como pretende solucionar os problemas socioeconômicos da cidade, Sarto consentiu que o fim do auxílio emergencial do Governo Federal, previsto para dezembro próximo, “irá agravar a crise econômica”, mas lembrou que “os programas assistenciais da Prefeitura já evoluíram bastante” e prometeu “criar o maior programa de recuperação econômica, gerando emprego e renda para periferia e vamos desenvolver a economia local com vários projetos”.  O pedetista, no entanto, não detalhou quais projetos seriam esses e como se daria sua execução e viabilidade. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política