Saque de auxílio da Prefeitura para feirantes e ambulantes será suspenso temporariamente

Com o objetivo de evitar o aumento de aglomerações, o atendimento na instituição financeira será retomado somente a partir do dia 6 de junho

Legenda: Feirantes, ambulantes, permissionários e artesãos estiveram aptos a receber o benfício nos meses de abril e maio
Foto: Foto: Camila Lima

Os saques na boca do caixa do auxílio financeiro extra de R$ 100, pago desde o mês passado pela Prefeitura de Fortaleza a ambulantes, permissionários e artesãos, estão suspensos até o dia 5 junho nas agências do Bradesco.

Já para os beneficiários que optaram pela transferência do benefício para outra instituição bancária o "processo continua normalmente", informou o prefeito Roberto Cláudio, em transmissão ao vivo realizada na noite desta quarta-feira (27).

A suspensão temporária dos saques, segundo o chefe do Executivo municipal, tem como objetivo evitar aglomerações nas agências, mais demandadas no período em questão.

"Exatamente no último dia do mês e nos primeiros dias de junho é quando a gente tem maior aglomeração de pessoas nas agências. Exatamente pra evitar aglomeração ainda maior de pessoas e, com isso aumentar o risco de disseminação e contaminação pelo Covid-19, nós vamos retomar para aqueles que desejaram ou optaram pela alternativa de buscar o dinheiro na boca do caixa, só que essas pessoas só possam voltar a fazê-lo a partir do dia 6 de junho", disse o prefeito.

Cerca de 17.500 feirantes, ambulantes, permissionários e artesãos, cadastrados pela Prefeitura de Fortaleza até o último dia 31 de março, estão aptos a receber o auxílio financeiro, durante os meses de abril e maio. Com o nome de Projeto Renda em Casa, a medida faz parte de um conjunto de ações que vêm sendo implementadas para fazer frente à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Obras emergenciais para Saúde e Educação retomadas

Durante a live, Roberto Cláudio ainda afirmou que, a partir da próxima segunda-feira (1º), quando o isolamento social rígido deve ser encerrado em Fortaleza, serão retomadas obras públicas emergenciais nos blocos da educação e da saúde. 

Com isso, estima ele, deve haver uma ampliação na oferta de vagas de educação infantil e de tempo integral, bem como uma melhoria na infraestrutura de atendimento a pacientes, em geral, nas unidades de saúde.

"A gente está preocupado com creches-escolas que estão bem próximas de serem acabadas, finalizadas pra que a gente já no início do semestre letivo do próximo ano possa ofertar mais vagas de educação infantil e de tempo integral, [...] de escola regular também no segundo semestre do próximo ano". 

Na saúde, devem ser entregues, ainda no mês de junho, pelo menos três obras. São elas: nova emergência e leitos de enfermaria no Gonzaguinha da Barra do Ceará; expansão da capacidade de internação clínica e cirúrgica do Frotinha da Parangaba; além de um centro cirúrgico, sala de recuperação e estrutura de farmácia no Frotinha do Antônio Bezerra.

Ainda há previsão de entrega, para o fim de junho a início de julho, de duas policlínicas para consultas médicas especializadas, nos bairros Passaré e Siqueira.