Relatório do MP sobre os Institutos tem falhas

O técnico da Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Ceará (PGJ/CE), Samyr Cruz Góis, admitiu que faltou informação no relatório feito pela comissão especial de promotores de Justiça, a mando da procuradora geral de Justiça, Socorro França, a fim de apurar supostas irregularidades na divulgação de pesquisas eleitorais no pleito do ano passado, cujo pedido foi feito por deputados que se diziam prejudicados.

A empresa Exacta Instituto de Pesquisa e Consultoria Ltda, uma das relacionadas no relatório do MP já havia sido absolvida da imputação que lhe fizera uma das coligações que participaram das eleições em Limoeiro do Norte,por decisão do Tribunal Regional Eleitoral, em dezembro passado.
Quero receber conteúdos exclusivos sobre política