Prefeituráveis de Fortaleza concluem registros no TRE

Na lista de candidatos na Capital, há milionários e outros que dizem não ter posses. Investimentos incluem de Fusca a Hilux, além de terrenos. Com os pedidos de registro feitos, todos estão aptos a iniciar a campanha no domingo

Legenda: Pedidos de registro de candidatura processados pelo TRE-CE são disponibilizados na plataforma Divulgacand
Foto: Arquivo: Fernanda Siebra

A declaração de patrimônio à Justiça Eleitoral revelou diferenças de posses entre os candidatos à Prefeitura de Fortaleza. Enquanto alguns acumulam patrimônios milionários, outros dizem não ter bens. Entre os postulantes, alguns dobraram os recursos em dois anos, enquanto outros perderam parte dos montantes financeiros. Na lista, bens de moradia e terrenos são os mais comuns, assim como veículos, que vão de Fusca a Hilux. Na lista de posses, por sua vez, há até cavalos. 

Somados, os dez candidatos apresentaram R$ 8,4 milhões em bens ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE). Quase metade desse valor, R$ 4,1 milhões, é do deputado estadual e candidato pelo Solidariedade Heitor Férrer. Quando concorreu ao Parlamento estadual em 2018, ele declarou ter cerca de R$ 2 milhões em bens. Em dois anos, o aumento foi de 102,7%. Entre as posses, o parlamentar acumula cinco apartamentos e igual número de terrenos – estes em Aquiraz, Eusébio, Sobral, Jaguaretama e São Gonçalo do Amarante –, além de fundos de investimento, dois veículos Toyotas Hilux e cavalos de raça, que, somados, chegam a R$ 18 mil. 

Aumento

Se Férrer dobrou o patrimônio declarado em dois anos, o colega de parlamento Renato Roseno (Psol) triplicou. Os R$ 123 mil de 2018, quando foi eleito para o Legislativo estadual, aumentaram 203,4%, chegando a R$ 373,3 mil nestas eleições municipais. Além de um automóvel e de valores em conta, o psolista declarou, assim como em 2018, um apartamento, que tem parte do valor financiado, o que inflou o cálculo neste ano. 

Em valores monetários, o segundo maior montante entre os candidatos a prefeito é do presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, José Sarto (PDT). O pedetista apresentou patrimônios acumulados de R$ 1,5 milhão. Apesar de estar entre os postulantes com maior valor em bens, o político perdeu 28,3% do patrimônio desde 2018. À época, ele declarou, R$ 2,1 milhões. Entre os bens, três apartamentos, dois veículos – dos quais, uma Hilux, modelo mais comum entre os candidatos – e investimentos financeiros. 

Quem também enfrentou perda significativa do patrimônio entre uma eleição e outra foi o deputado federal Heitor Freire, candidato à Prefeitura da Capital pelo PSL. Ele teve um decréscimo patrimonial de 59%. Em 2018, apresentou R$ 1,09 milhão em bens. Neste ano, R$ 447 mil. Entre as posses do pesselista, uma casa e valores em dinheiro. 

Variação

Ainda na lista de candidatos milionários e ex-milionários, o deputado federal Capitão Wagner, prefeiturável pelo Pros, aumentou em 39,5% o patrimônio. No pleito de 2018, quando foi eleito para a Câmara dos Deputados, ele declarou R$ 908,7 mil em bens. Neste ano, R$ 1,2 milhão. Os recursos estão divididos em duas casas, dois apartamentos, investimentos financeiros e um veículo: uma Hilux. 

Enquanto outros candidatos variaram consideravelmente o patrimônio, a ex-prefeita de Fortaleza e deputada federal Luizianne Lins (PT), novamente candidata ao Paço Municipal pela legenda petista, manteve praticamente o mesmo valor em bens nos últimos dois anos. Última a apresentar os bens à Justiça Eleitoral, na manhã de ontem, ela declarou R$ 259,6 mil. 

Além de apartamento e valores depositados em conta bancária, parte do montante está investido em um Volkswagen Fusca, ano 1969, de cor vermelha, que ela costuma usar nas campanhas eleitorais. 

Novatos na disputa

No fim da lista, o deputado federal Célio Studart (PV) mostrou R$ 15,4 mil em patrimônio. O valor, apesar de baixo, se comparado a outros concorrentes, é 34,2% mais alto do que ele declarou em 2018. À época, ainda como vereador, Studart disse ter R$ 11,5 mil em bens. Entre as posses do político atualmente, um Fiat Uno, no valor de R$ 11,5 mil, além de montante depositado em conta bancária. 

Além desses candidatos, Anízio Melo (PC do B) também declarou patrimônio ao TRE-CE neste ano. Ele incluiu na lista um imóvel financiado custando R$ 300 mil. Em 2018, quando concorreu a deputado federal, disse não ter bens. Essa situação ocorreu neste ano com dois postulantes a prefeito: Paula Colares (UP) e Samuel Braga (Patriota). Ambos declararam não possuir patrimônio.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política

Assuntos Relacionados