PDT deve acionar Conselho de Ética na 2ª

Decisão foi tomada em reunião nesta quarta-feira

Legenda: Segundo André Figueiredo, ação é uma demonstração de indignação do partido
Foto: Cid Barbosa

O PDT vai acionar o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (AL-CE) contra o deputado estadual André Fernandes (PSL) por quebra de decoro. Em razão do feriado desta quinta-feira – e do ponto facultativo do dia seguinte –, a medida só deve ser tomada na segunda-feira (24).

A decisão foi tomada nesta quarta-feira, em reunião da Executiva estadual do partido. O motivo da ação é a acusação de Fernandes de que parlamentares, e o deputado estadual Nezinho Farias (PDT) em particular, teriam envolvimento com facções criminosas. “É uma decisão tomada de forma unanime mostrando, primeiro, nossa solidariedade em relação ao deputado Nezinho e, segundo, nossa indignação perante à acusação descabida, infundada e sem nenhuma prova”, declarou o presidente estadual do partido, o deputado federal André Figueiredo.

O encontro realizado pelo partido em sua sede estadual, contando com a Executiva no Estado e da bancada na AL-CE. Nezinho e Figueiredo foram os únicos a dar entrevista. Na saída, o deputado estadual Osmar Baquit declarou que o presidente do partido falaria por todos.

O dirigente declarou que não cabe ao partido apontar qual deve ser a punição a Fernandes. “Cabe ao Conselho de Ética dar essa gradação. Não somos nós que vamos pedir. Queremos apenas que ele receba a devida penalidade”, declara. E também recomendou que Fernandes procure uma boa assessoria jurídica.

Nezinho, por sua vez, afirmou não ter dúvidas “da irresponsabilidade do deputado que faz uma acusação dessas, leviana, sem provas”. Ele voltou a defender seu projeto que Fernades usa para acusá-lo – uma proposta de regulamentação dos jogos eletrônicos -, afirmando que ele teria o videogame como alvo, e não o jogo do bicho como declara o peesselista. “Como você confunde (as duas coisas)?”, questiona.

A proposta, em tramitação na Assembleia, propõe tornar esporte eletrônico as atividades que fazem uso de artefatos eletrônicos e se caracterizam pela competição de dois ou mais participantes. Nezinho argumenta que, com a evolução dos jogos e crescente adesão de usuários, os esportes eletrônicos se transformaram em assunto sério e que “alimenta uma indústria altamente lucrativa”.

Relembre

A polêmica teve início na quarta-feira (12), quando, em discurso na tribuna do Legislativo, afirmou haver parlamentares envolvidos com facções criminosas, sem citar nomes. “Qual moral tem deputado envolvido com facção para falar de segurança, sobre moralidade, respeito e ética? Os deputados estão sendo controlados. É algo obscuro. Tenho foro privilegiado. Quem tiver achando ruim que se exploda”, disse, enfurecendo colegas. Na sexta (14), ele levou ao Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) a suspeita de que Nezinho Farias teria envolvimento com facções e que seu projeto sobre jogos eletrônicos serviria para lavagem de dinheiro através do jogo do bicho.


Categorias Relacionadas