Paulo Cesar Norões: Equilíbrio de Moro arrefece audiência

Como tudo que vira celeuma no Brasil dos últimos anos, as discussões em torno do vazamento das supostas mensagens entre o então juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol descambaram, desde o seu início, para mais um FlaXFlu ideológico, como tantos outros que vêm torrando a paciência de uma maioria silenciosa da população e fazendo a festa de minorias extremistas e barulhentas, de direita e de esquerda.

Quem tenta colocar um argumento mais embasado, de cunho técnico, é logo atacado pela parte que eventualmente desagrada com seu entendimento. E isso em todas as rodas. Desde os botecos, passando pelas redes sociais, até chegar no Parlamento, em seus diversos níveis. Um bom exemplo foi a ida de Moro, nesta quarta-feira, ao Senado. Posicionamentos equilibrados de alguns senadores se perderam em meio ao festival de puxa-saquismos de uns e o 'Lula-livre' apaixonado de outros.

Durante nove horas, Moro conseguiu manter uma postura equilibrada. Não se deixou empolgar por elogios melosos de admiradores mais empolgados, tampouco se alterou com increpações de oposicionistas mais raivosos, que tentaram a todo custo tirá-lo do sério. Pode-se dizer que saiu-se bem. O que não significa o fim da polêmica. Afinal, o FlaXFlu ideológico está longe do apito final.

Água quente

Na próxima quarta-feira Joaquim Levy vai estar na CPI da Câmara dos Deputados que apura denúncias de irregularidades no BNDES. O convite fora feito antes da saída dele da presidência do banco. No dia 1º de julho, numa segunda-feira, será a vez do jornalista Glenn Greenwald ir ao Senado falar sobre os diálogos vazados entre o ex-juiz federal Sergio Moro e integrantes do Ministério Público. Brasília continua fervendo bastante...

Regulamentação

Uma das áreas que tem crescido mais nos últimos tempos é a do 'coaching'. No Brasil e no mundo, uma atividade conhecida, com profissionais altamente capacitados e de reconhecido sucesso. Todavia, uma profissão ainda não regulamentada no País, o que deixa seus profissionais sem quaisquer garantias asseguradas às demais categorias. Algo que pode mudar se a Câmara Federal aprovar projeto de lei do deputado Eduardo Bismarck (PDT/CE), que regulamenta o exercício da profissão de 'coach'.

Defesa

Na sua linha de defesa no "Caso Nezinho" o acusador, deputado André Fernandes (PSL), cita o artigo 148 do Regimento Interno da Assembleia Legislativa, que garante ao parlamentar a inviolabilidade, civil e criminalmente, nas suas opiniões, palavras e votos. O deputado Nezinho Farias (PDT) é acusado de ter relacionamento com facções criminosas.

Em busca da Unidade

Presidente José Sarto (PDT) trabalha duro para que a paz volte a reinar na Assembleia Legislativa após o alvoroço provocado por André Fernandes (PSL). Sarto mobilizou a bancada governista para marcar presença na entrevista coletiva dada por Farias no Comitê de Imprensa da Casa, mas só compareceram oito dos 39 deputados da bancada do Governo. Seria um gesto de solidariedade da grande maioria.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política