'Motim em Sobral não foi por acaso, foi provocação', diz Ciro Gomes sobre ato em quartel

"O Ceará tem 184 municípios, e eles escolheram Sobral para aterrorizar, mandando comerciantes fecharem as portas, estimulando bandido a tomar viaturas da Polícia no meio da rua e mandando policiais descerem sob a mira de uma arma"

Legenda: Ciro explicou que Cid resolveu ir a Sobral ao saber que a situação na cidade estava "sob terror absoluto
Foto: Foto: Sistema Verdes Mares

O ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), afirmou que o motim em Sobral foi uma "provocação" aos Ferreira Gomes. Na tarde desta quarta-feira (19), o senador licenciado Cid Gomes (PDT) foi atingido por dois tiros ao tentar entrar com retroescavadeira em um quartel da Polícia Militar, que estava dominado por grupo encapuzado.

"O Ceará tem 184 municípios, e eles escolheram Sobral para aterrorizar, mandando comerciantes fecharem as portas, estimulando bandido a tomar viaturas da Polícia no meio da rua e mandando policiais descerem sob a mira de uma arma. Um verdadeiro motim de canalhas", ressaltou Ciro.

Atos de agentes da Polícia Militar se instensificaram nesta semana, após os deputados aprovarem, na última terça-feira (18), a tramitação do projeto de lei com a reestruturação da carreira dos militares. A matéria foi enviada pelo governador Camilo Santana (PT) no dia 14, após acordo com a categoria firmado no dia 13. A proposta do Executivo reajusta o salário de um soldado, por exemplo, em cerca de R$ 1,3 mil até 2020, fazendo com que o valor passe dos atuais R$ 3,2 mil para R$ 4,5 mil no último ano de mandato do Camilo.

A proposta incial de Camilo oferecia um aumento de aproximadamente R$ 1 mil, mas o valor foi aumentado após intensas negociações com representantes da categoria. Apesar do acréscimo, uma parte dos policiais militares e de representantes recuou na proposta, a rejeitando.

Sobral

Ciro explicou que Cid resolveu ir a Sobral ao saber que a situação na cidade estava "sob terror absoluto". 

"Ele é uma pessoa, um ex-governador, que tocado pela notícia de que uma cidade inteira estava sob terror absoluto, se dirige até lá porque não é homem de gabinete para tentar resolver, porque não é desses que entrega seu estado a milícias. Nós somos públicos, sabemos dos riscos e ameaças da nossa fidelidade a causa do povo. Mas isso (atirar no Cid) foi um verdadeiro banditismo", enfatizou.

Para Ciro, a única saída para conter a crise com os policiais é "repressão". 

"Eu não tenho nenhum prazer em dizer isso. Não queria desmerecer a luta, seja de quem for por melhoria de salário, porque sei que a vida é dura para todo mundo. Mas não se trata mais disso. Num estado pobre como o nosso, um policial em início de carreira ganhando cinco salários mínimos enquanto um professor não ganha metade disso. É uma inversão de valores extremamente grave", acrescentou.

Estado de saúde

Conforme Ciro, o senador não corre risco de morte e está "lúcido e sereno". No entanto, ele continuará em observação porque uma das balas ainda está alojada no pulmão, e por isso foi colocado um dreno para retirar o ar que entrou. 

Transferência para Fortaleza

Legenda: Cid chegou a hospital particular no Meireles na tarde desta quinta-feira (20)
Foto: Foto: Camilla Lima

Por volta das 11h, Cid Gomes deixou Sobral e foi transferido para Fortaleza em um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer). Ele entrou na aeronave acenando.

Segundo o prefeito de Sobral e irmão do Senador, Ivo Gomes, o senador foi transferido a pedido da família. Ele chegou à Capital no começo da tarde e ficará internado em um hospital particular. O governador Camilo Santana acompanhou a chegada do senador.

Legenda: O governador acompanhou a chegada de Cid a Fortaleza
Foto: Foto: Isanelle Nascimento/SVM

Legenda: Cid deixou a unidade em Sobral para ser transferido para Fortaleza em um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer)
Foto: Camila Lima

Investigação

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que as investigações a respeito do crime cometido contra Cid Gomes estão com o Núcleo de Homicídios da Delegacia Regional de Sobral da Polícia Civil. Uma equipe do Grupo de Pronta Intervenção (GPI) da Polícia Federal, composta por agentes, peritos e papiloscopistas está se dirigindo à Sobral para auxiliar os trabalhos da Polícia Civil.