Maiores colégios eleitorais começam a escalar nomes para eleições

São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, capitais com o maior número de eleitores no País, já se movimentam para oficializar as principais candidaturas, enquanto as articulações políticas chegam à reta final com anúncios de apoio

Legenda: Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que 147.918.483 eleitores brasileiros estão aptos a votar nas Eleições 2020
Foto: Agência Brasil

As principais capitais do Brasil começam a viver o clima de eleição municipal. Desde a semana passada, os partidos estão realizando suas convenções, com a apresentação de seus candidatos oficiais. Nos maiores colégios eleitorais do País, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, gestores municipais estão empenhados em seus planos de vencer e conseguir a reeleição, enquanto a lista de postulantes ao cargo aumenta a cada dia.

Ontem, quatro partidos fizeram suas convenções na cidade de São Paulo, maior colégio eleitoral do País.

O Partido Verde oficializou o apoio do partido à reeleição de Bruno Covas (PSDB) à Prefeitura de São Paulo. O apoio foi decidido em votação durante a convenção do partido, realizada virtualmente na capital paulista. O Partido Verde é a terceira legenda da Capital a declarar apoio formal à reeleição de Covas, que deve ser oficializado candidato do PSDB à Prefeitura no dia 12.

O Democratas (DEM) aprovou o apoio a Covas na última segunda-feira (31) e o Cidadania, na quinta-feira (3).

Já o Psol oficializou a candidatura da chapa Guilherme Boulos e Luiza Erundina à Prefeitura paulistana, enquanto o PCdoB confirmou, na convenção, Orlando Silva.

Por sua vez, o Novo anunciou a candidatura de Filipe Sabará, ex-secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social da cidade de São Paulo durante a gestão do prefeito João Doria (PSDB).

Rio de Janeiro

Na capital fluminense, o Solidariedade decidiu não lançar candidato próprio à Prefeitura do Rio de Janeiro. Ontem, o partido oficializou apoio à reeleição de Marcelo Crivella (Republicanos) à Prefeitura. A decisão foi tomada em convenção do partido.

A convenção do partido Republicanos para indicar a candidatura do atual prefeito do Rio à reeleição está marcada para amanhã.

No meio político carioca, o ex-prefeito Eduardo Paes, oficializado pelo DEM como candidato no dia 2 de setembro, é apontado como o principal adversário de Crivella.

No campo ideológico da esquerda, o bancário aposentado e professor universitário Cyro Garcia foi oficializado, ontem, pelo PSTU como candidato. Ele foi candidato a prefeito em 1996, 2000, 2012, 2016 e agora em 2020.

Já o Psol já oficializou a candidatura da deputada estadual e jornalista Renata Souza à Prefeitura do Rio.

Belo Horizonte

Na capital mineira, a convenção do PT definiu, ontem, que Nilmário Miranda será o candidato da legenda à prefeitura de Belo Horizonte. Ele foi ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos, designado por Lula em 2003. De 2015 a 2018, atuou como Secretário de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania de Minas Gerais.

Já o Solidariedade (SD) confirmou, ontem, a candidatura do deputado Professor Wendel Mesquita à prefeitura de Belo Horizonte.

O primeiro nome confirmado para a disputa em BH foi o empresário Marcelo Souza e Silva, de 54 anos, oficializado pelo Patriota.

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) busca a reeleição. A convenção do PSD está marcada para o próximo dia 13.

Apontado como um dos principais adversários dele, o deputado estadual, jornalista e advogado João Vitor Xavier vai disputar pelo Cidadania. Ele recebeu o apoio do PTB na última segunda-feira.

Já a convenção do Psol lançou a candidatura de Áurea Carolina à disputa pelo Executivo de Belo Horizonte. A cientista social Áurea Carolina tem 36 anos e foi eleita vereadora de Belo Horizonte em 2016 e deputada federal em 2018.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política

Assuntos Relacionados