Luizianne reeleita para um segundo mandato

Legenda:
Foto:
Moroni Torgan (DEM), segundo colocado, e Patrícia Saboya (PDT), a terceira, ficaram muito distante dela

A Justiça Eleitoral, representada pela desembargadora Huguette Braquehais, presidente do Tribunal Regional Eleitoral, deu por encerrado o processo de votação ontem, logo após às 17 horas, descatando a tranqüilidade do pleito na quase totalidade dos 184 municípios cearenses.

Em Fortaleza, afora algumas denúncias ao Ministério Público e à própria Justiça, ocorrências menos gravosas registradas pelas Polícias Federal, Miolitar e Civil, o processo de votação ocorreu sem problemas, embora 52 urnas eletrônicas tenham sido trocadas, antes mesmo do início da votação. Só em dois municípios do Ceará, Redenção e Itapajé tiveram, cada um, uma seção eleitoral funcionando sem urna eletrônica. Elas foram substituídas por cédulas eleitorais, como as do passado. Também no Interior, 96 urnas eletrônicas foram substituídas por outras.

A Justiça Eleitoral inovou, este ano, ao fazer uma pesquisas com os mesários convocados para o trabalho no dia de ontem. A Justiça eleitoral também iniciou um projeto com a participação de jovens estudantes de escola pública no funcionamento de 26 seções que funcionaram na Capital.

Primeiro turno

Luizianne Lins chegou próximo das 11 horas à 1ª seção da 112ª zona eleitoral para votar. Ela estava acompanha do governador em exercício, Francisco Pinheiro (PT); do senador Inácio Arruda (PCdoB); do deputado federal Eunício Oliveira (PMDB), dentre outros aliados, e foi recepcionada pelo ex-marido, o vereador e presidente estadual do PSB, Sérgio Novais; pelo seu vice, Tin Gomes (PHS); além de um grupo de militantes que a esperavam desde as 8 horas da manhã.

Assediada por vários jornalistas, Luizianne, antes de votar, falou sobre suas expectativas para o pleito. A candidata, afirmando acreditar que o povo de Fortaleza ´sabe se posicionar´, por este motivo não falaria ´em vitória até a contagem do último voto´, após ser questionada sobre uma possível vitória já no 1º turno. Também afirmou que, em caso de 2º turno, pode sim realizar aliança com um de seus principais adversários (Patrícia Saboya, PDT ou Moroni Torgan, DEM), mas antes, segundo a candidata, teriam que reavaliar suas respectivas posturas. ´Pode ser que melhore a qualidade´, afirmou em tom de dúvida.

Politização

Luizianne Lins fez ainda uma análise positiva da participação popular na eleição 2008, ´sinto que o povo se envolve e torce. Essa é uma politização importante que estamos vivenciando. Desde a primeira eleição do Lula, sinto esse processo de maturidade política do povo brasileiro. As pessoas estão começando a entender o processo´. Envolvimento, o qual, segundo a prefeita, tem colaborado para quebra da hegemonia do que chamou de ´certos grupos´ políticos no Ceará, ´a política de Fortaleza mudou e me sinto feliz de fazer parte dessa história´, enfatizou.

Questionada se o crescimento do candidato do PSOL, Renato Roseno, a preocupava, posto que poderia interferir na ocorrência ou não de um 2º turno, Luizianne afirmou saber que, ´a decisão (se vai haver ou não 2° turno) será por pequeno percentual, então qualquer crescimento vai interferir´, e acrescentou ´o povo é quem vai decidir, é complicado ficar fazendo projeção´. Com relação às críticas que sua gestão vem sofrendo, disse ter se surpreendido ´pelo grau e pela forma dos ataques´, além da grande ´divergência de princípios e projetos´ dos adversários.

Projetos

Ao realizar uma autocrítica acerca de sua administração, a postulante disse preferir falar ´do que queria que tivesse caminhado mais rápido´, como o setor da saúde, o qual foi alvo de muitos ataques durante o processo eleitoral. ´Nós vamos avançar agora na média complexidade, antes pegamos a duas pontas do sistema de saúde (os postos de saúde e especialidades), agora vamos para o meio´, explicou a postulante que pretende também rever a estrutura das regionais. ´Ficou pendente a gente fazer uma reestruturação mais adequada das regionais de Fortaleza. No futuro vamos avaliar se aumenta o número delas´, disse, fazendo planos para um segundo mandato.

Apesar da neutralidade quanto à possibilidade de vitória já no 1º turno, o seu vice, Tin Gomes, arriscou até mesmo os percentuais, ele aposta no ´intervalo de 53% a 59%´. Confiança reforçada pelo governador em exercício Francisco Pinheiro, ´mesmo com a margem de erro ela ainda tem dois pontos de vantagem´, enfatizou, ao citar o percentual da pesquisa Datafolha, 53%.

Para Eunício Oliveira, o qual já confirmou sua candidatura ao senado para 2010, a campanha de Luizianne Lins evoluiu bem. ´Se não ganharmos no primeiro turno, ganharemos no segundo´, afirmou, e criticou o adversários da petista ´felizmente o eleitor mudou muito, ele quer o bem da comunidade dele. Então, quem foi para o ataque perdeu e quem mostrou propostas positivas ganhou a confiança do povo e do eleitor´. Após votar e ter uma saída tumultuada, Luizianne Lins e seus aliados seguiram para visitar algumas seções.

FIQUE POR DENTRO
Luizianne mais que duplicou o percentual de votos

A prefeita no 1º turno da eleição de 2004 conseguiu 22,30% (248.215 votos), perdendo para o candidato Moroni Torgan que somou um total de 26,60% (296.063 votos). Moroni disputou a Prefeitura pela coligação do seu partido, o PFL (denominação do DEM, naquela época) com o PAN e o PTC. Luizianne concorreu pela coligação do PT com o PSB. No segundo turno o resultado foi favorável à prefeita. Ela conseguiu 620.174 votos, correspondendo a 56,21% de toda votação. Moroni somou 483.085 ou 43,79% do total de votos. Na eleição municipal passada eram 11 os candidatos que disputavam a Prefeitura.

RESTANTE DA APURAÇÃO
Prefeita acompanha no TRE/CE

Antes mesmo do fim da apuração, a prefeita reeleita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), realizou uma visita ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE/CE) em agradecimento à presidente daquela Corte Eleitoral, a desembargadora Huguette Braquehais.

Na entrada do TRE/CE, também recepcionaram a gestora da Capital a procuradora-geral de Justiça, Socorro França e a corregedora regional eleitoral, desembargadora Gizela Nunes. Em seguida, a prefeita concedeu sua 1ª entrevista coletiva após conhecer o resultado de sua reeleição.

Visivelmente emocionada, Luizianne afirmou que a visita era para ter a certeza do resultado se confirmar, quando ainda faltavam pouco menos de 1% de urnas a serem apuradas. Em razão do problema em uma última urna eletrônica, sendo a apuração da mesma realizada de forma manual, a petista ainda deixou os jornalistas a esperando na sala de imprensa do TRE/CE para a coletiva por mais de meia hora. ´Sou supersticiosa, não sai da sala da presidente enquanto a última urna não fosse apurada´.

Estiveram com Luizianne no TRE/CE, o secretário da Casa Civil do Governo Cid Gomes (PSB), Arialdo Pinho, o ministro da Previdência, José Pimentel (PT) e o deputado federal Eudes Xavier (PT).
Quero receber conteúdos exclusivos sobre política