Juiz determina busca e apreensão em comitê de Capitão Wagner

Determinação veio do juiz da 116º Zona Eleitoral de Fortaleza, José Krentel Ferreira Filho, após denúncias sobre uma suposta distribuição ilegal de camisetas

A Polícia Federal cumpriu, nesta terça-feira (25), um mandado de busca e apreensão no comitê central do candidato Capitão Wagner (PR), localizado na Avenida Barão de Studart. A determinação veio do juiz da 116º Zona Eleitoral de Fortaleza, José Krentel Ferreira Filho, após denúncias sobre uma suposta distribuição ilegal de camisetas. Os agentes, porém, não encontraram nenhum material ilegal no local.

Os policiais federais chegaram ao local por volta das 14h30, acompanhados de representantes da Justiça Eleitoral. Segundo integrantes do comitê, eles pediram para verificar o porta-mala de todos os veículos que estavam no local, além de fazerem uma busca no antigo prédio da Companhia Energética do Ceará (Coelce), utilizado pelo comitê. "Nada foi encontrado", confirmou um dos agentes da PF.

Um cofre localizado no andar inferior do antigo prédio da Coelce, porém, chamou a atenção da Polícia Federal, que requisitou um chaveiro para abrir o compartimento, já que ninguém no local tinha conhecimento do segredo ou chave para abri-lo. Segundo a assessoria de imprensa do candidato Capitão Wagner, "o cofre está no prédio desde os tempos de Coelce e não é usado pelo comitê".

Até o fechamento desta matéria, a PF seguia tentando abrir o cofre para concluir o mandado.

Resposta

Em nota, a assessoria de imprensa do candidato Capitão Wagner resssaltou que "a fiscalização teve acesso a todos os espaços e dependências do local, sem que fosse observado qualquer ato ou indício de irregularidade por parte da coligação Juntos Somos Mais". O comunicado também destacou que "a campanha de Capitão Wagner reitera seu total compromisso com o cidadão, com a democracia e com a verdade, de modo que manterá uma campanha justa, honesta e limpa até sua conclusão".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política