José Serra é alvo de nova fase da operação Lava Jato em investigação de lavagem de dinheiro

PF cumpre oito mandados de buscas e apreensão em São Paulo e no Rio de Janeiro

O senador e ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) é alvo, na manhã desta sexta-feira (3), de uma nova etapa da Operação Lava Jato, em São Paulo por lavagem de dinheiro. A Polícia Federal faz buscas contra ele em uma nova fase da operação. Na operação desta sexta, a PF cumpre oito mandados de buscas e apreensão em São Paulo e no Rio de Janeiro.

>Lava Jato: PF cumpre 5 mandados de prisão por fraudes na saúde
>Lava Jato prende Márcio Lobão, filho do ex-ministro Edison Lobão, no Rio de Janeiro

Segundo informações da Polícia Federal, José Serra usou o cargo de governador entre 2006 e 2007 para receber da Odebrecht pagamentos indevidos em troca de benefícios relacionados às obras do Rodoanel Sul. A polícia afirma que a empresa pagou milhões de reais empreiteira por meio de uma rede de empresas fora do Brasil, para que o real beneficiário dos valores não fosse detectado pelos órgãos de controle.

Filha e empresário envolvidos

Ainda de acordo com a operação, o empresário José Amaro Pinto Ramos e Verônica Serra, que é filha do ex-governador, constituíram empresas no exterior, ocultando seus nomes, e por meio delas receberam os pagamentos que a Odebrecht destinou ao então governador de São Paulo.

O Ministério Público Federal afirmou que Verônica e Ramos fizeram transferências para dissimular a origem dos valores, e os mantiveram em uma conta de offshore controlada, de maneira oculta, por Verônica Serra até o final de 2014, quando foram transferidos para outra conta de titularidade oculta, na Suíça.

O MPF obteve autorização na Justiça Federal para o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões em uma conta no país.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política