Habitação é alvo de cobrança na CM

Escrito por Redação ,
Legenda: O vereador Ciro Albuquerque levou o assunto à Tribuna da Câmara, onde pediu mais investimentos para erradicar áreas de risco na Capital
Foto: Fabiane de Paula
Durante sessão ordinária de ontem, o vereador Ciro Albuquerque (PTC) cobrou da Prefeitura de Fortaleza mais políticas públicas e empenho para uma ação permanente de diminuição das áreas de risco que existem na cidade. Segundo o parlamentar, a Capital possui 86 áreas nessa condição, mas a prefeita Luizianne não estaria investindo na tentativa de sanar a problemática.

"A prefeita, ao invés de estar preocupada com isso, está viajando, o que não faz diferença, pois quando ela está por aqui não vemos nenhuma atuação de sua gestão. O Acrísio poderia ter assumido o Governo durante a ausência de Luizianne, mas ela não quis. E o risco continua", salientou Ciro, que apresentou como solução para a não proliferação desses espaços o combate no início das ocupações.

De acordo com o vereador, no momento em que essas áreas são invadidas, a Prefeitura deveria intervir para impedir os problemas. Ciro afirma que, em sete anos de mandato, Luizianne não conseguiu reduzir as áreas de risco de forma eficiente. "Não há um trabalho preventivo para impedir que outras áreas de risco sejam criadas. Precisamos de uma ação permanente", sugere.

Sem apontar nomes, Ciro disse que alguns políticos se aproveitam da situação de risco de algumas comunidades para desviar recursos federais. "Eles deixam que isso aconteça para ir pedir dinheiro e fazer aquele ´carnaval´ com o dinheiro público. As áreas de risco não foram diminuídas de forma significativa e não existe trabalho da Defesa Civil", reclamou o parlamentar do PTC.

Promessa

Para João Alfredo (PSOL), as ações da Prefeitura na área não correspondem à necessidade revelada pelo déficit de moradias em Fortaleza. "Das 32 mil moradias que ainda faltam para a população, pouco mais de 4 mil foram feitas", reclamou.

Apesar das críticas dos opositores, o líder da prefeita, Ronivaldo Maia (PT), afirmou que a Prefeitura entregou, até o momento, cerca de 10 mil casas e que a previsão é de que, até o final de 2012, outras 4 mil sejam entregues. Ele admitiu que há um déficit de 80 mil moradias, mas argumentou que a atual gestão é a que mais tem investido na área.

No entanto, o vereador Salmito Filho (PSB) lembrou ao colega que, durante campanha eleitoral, Luizianne teria prometido entregar 40 mil casas para os fortalezenses. Segundo ele, em cinco anos, o governador Cid Gomes já entregou 12 mil residências somente na Capital.
Os destaques das últimas 24h resumidos em até 8 minutos de leitura.