Família Bolsonaro segue clã de Trump com mensagens em vestuário

A futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, usou camiseta com referência à bronca de juíza ao ex-presidente Lula. Eduardo, filho do presidente eleito, também vestiu peça com ironia ao comunismo

Legenda: Michelle Bolsonaro gerou comentários com sua estampa de camiseta
Foto: Foto: Estadão Conteúdo

As comparações entre o clã Bolsonaro e a família do presidente americano Donald Trump cresceram, ontem, por um motivo insólito: o uso do vestuário para transmitir mensagens a seu público seguidor.

A futura primeira-dama Michelle Bolsonaro deixou, ontem, a Ilha da Marambaia, na Costa Verde, litoral Sul do Rio, onde passou o Natal com Bolsonaro e familiares. Na roupa, uma mensagem estampada: em sua camiseta de malha, na cor preta, ela trazia, em letras brancas, a frase: "Se começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema".

A afirmação foi dita pela juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, durante um interrogatório com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em novembro deste ano, sobre o caso do sítio de Atibaia, no âmbito da Operação Lava-Jato.

A magistrada substituiu o juiz Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça e Segurança Pública do governo de Bolsonaro, nos casos da Lava-Jato.

Na Casa Branca, já houve precedente do tipo. Em junho, a primeira-dama dos EUA, Melania Trump, foi criticada por ter usado um casaco com a frase "eu realmente não me importo, você se importa?" estampada nas costas ao embarcar para uma visita a crianças detidas na fronteira com o México. Os rivais da família Trump criticaram o uso do casaco, obrigando a assessoria de Melania a negar a intenção de emitir mensagem oculta por meio do vestuário.

Na manhã de ontem, Michelle desembarcou no Iate Clube de Itacuruçá, em Mangaratiba, em uma lancha da Marinha carregando o cachorro de estimação. As duas filhas de Bolsonaro também estavam com Michelle. Ela deixou o local sem falar com a imprensa, escoltada por policiais federais que usavam quatro carros e um helicóptero.

Nas redes sociais, os opositores de Bolsonaro postaram memes trocando a frase da camiseta de Michelle por uma pergunta sobre o motorista Fabrício Queiroz, ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que, ontem, se manifestou sobre a movimentação atípica de R$ 1,2 milhão, atribuindo à compra e venda de carros. Também pela manhã, Eduardo esteve na Ilha da Marambaia.

Após a visita ao pai, Eduardo deixou a base naval à tarde. Seguindo a moda de Michelle, o deputado usava uma camiseta de malha com a mensagem: "Aqui de boas procurando onde o comunismo funcionou". Ele desembarcou em Itacuruçá por volta de 15h (horário de Brasília) acompanhado da noiva, Heloísa Wolp.

O presidente eleito deverá deixar a Ilha da Marambaia hoje, no início da tarde. Ele permanece na base naval com o filho e vereador do Rio, Carlos. O retorno para o Rio está previsto para às 14h (horário de Brasília).

Israel

Bolsonaro deverá almoçar sexta-feira no Forte de Copacabana, no Rio, com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. O chefe de Estado permanecerá no Brasil até a cerimônia de posse de Bolsonaro. O presidente eleito ainda não decidiu a data do embarque para Brasília, onde tomará posse na terça-feira.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política

Assuntos Relacionados