'Estão fazendo tempestade em copo d'água', diz André Fernandes em meio a polêmica sobre denúncia

O deputado do PSL disse que vai apresentar ao Ministério Público uma segunda parte da denúncia, com fotos e vídeos

Legenda: André Fernandes não compareceu à sessão da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (18). De Brasília, publicou vídeo nas redes sociais
Foto: Foto: José Leomar

O deputado estadual André Fernandes (PSL) disse ao Diário do Nordeste, nesta terça-feira (18), que os parlamentares da Assembleia Legislativa do Ceará estão fazendo "tempestade em copo d'água" e que não vai dar "satisfação de maneira alguma" sobre a denúncia apresentada ao Ministério Público do Ceará (MPCE), em que acusa o colega, Nezinho Farias (PDT), de envolvimento com facção criminosa. Fernandes disse, ainda, que vai apresentar ao MPCE documentosincluindo fotos e vídeos, para embasar a denúncia.

Desde que a denúncia veio à tona, na última segunda-feira (17), Nezinho nega a acusação. Na sessão plenária desta terça, o pedetista fez um longo discurso e disse que autorizou a quebra de sigilo de sua conta bancária e telefônica. Ele desafiou Fernandes a provar as acusações e afirmou que, se conseguir, renunciará ao mandato.

Em entrevista, André Fernandes defendeu que foi "responsável do começo ao fim" ao apresentar a denúncia e que o seu papel é encaminhar para o órgão competente todas as que chegarem ao seu gabinete. Ele chamou de "tempestade em copo d'água" as discussões na Assembleia  e disse que não se sente ameaçado em ter o mandato cassado.

Vejo muito político querendo aparecer, quando a gente mexe no vespeiro fica tudo doido. Eles estão se queimando. Devem alguma coisa, têm rabo preso. Acho que estão fazendo tempestade em copo d'água e se preparem, porque vai ter mais denúncia" 

Antes da entrevista, em vídeo publicado em seu canal do Youtube, André Fernandes disse que não deve satisfações do seu mandato a nenhum parlamentar porque, sustenta ele, tem imunidadade parlamentar de opinião e fala, como prevê o Regimento Interno da Assembleia Legislativa.

Parte I

Em uma denúncia de três páginas protocolada na última sexta-feira (14), André Fernandes sustenta, a partir de "informações trazidas" por fontes não citadas, que Nezinho teria tido campanha eleitoral financiada pela facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Em troca, segundo Fernandes, o pedetista teria o "dever" de apresentar e aprovar um projeto que "viesse a fortalecer atividade desempenhada pela facção". 

No documento, Fernandes afirma que projeto de lei apresentado por Nezinho, para regulamentar jogos eletrônicos no Estado, atenderia aos interesses da facção e serviria para fortalecer a lavagem de dinheiro através do "jogo do bicho".

O objetivo da proposta, em tramitação na Casa, é tornar esporte eletrônico as atividades que fazem uso de artefatos eletrônicos e se caracterizam pela competição de dois ou mais participantes.

Nezinho argumenta que, com a evolução dos jogos e crescente adesão de usuários, os esportes eletrônicos se transformaram em assunto sério e que "alimenta uma indústria altamente lucrativa".

Curiosamente, o projeto de lei recebeu voto favorável de André Fernandes na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), no último dia 4. O deputado do PSL chamou de "mentira" e alegou que analisou apenas a constitucionalidade da matéria na CCJ, e não o mérito.

Parte II

André Fernandes, no entanto, disse nesta terça que vai apresentar uma segunda parte da denúncia, que contém fotos e vídeos. "Houve aditamento, mais provas chegaram. Assinei com o meu assessor (o documento) e vai hoje (18) para o Ministério Público. Essa outra parte contém foto e vídeo. Eu não estou indo atrás (da denúncia), estou repassando", justificou.

As bancadas do PDT e de outros partidos preparam uma representação contra Fernandes no Conselho de Ética da Assembleia Legislativa. Está marcada para esta quarta-feira (19) uma reunião da Executiva Estadual da sigla pedetista, em Fortaleza, para deliberar sobre o assunto.