Em Juazeiro, cenário é de indefinições e candidaturas fragmentadas

Até o momento, há ao menos nove pré-candidatos colocados no maior município do interior do Estado. Enquanto o atual prefeito não define a chapa, a oposição busca construir alianças. Disputa é diferente em outras cidades

Legenda: No Cariri, Juazeiro do Norte é o terceiro maior colégio eleitoral do Ceará
Foto: Antônio Rodrigues

Um cenário tão movimentado quanto indefinido marca as articulações para a corrida eleitoral no maior município do interior do Estado e o terceiro maior colégio eleitoral do Ceará. Em Juazeiro do Norte, ao menos nove pré-candidaturas estão no jogo, e enquanto o prefeito Arnon Bezerra (PTB) não define a chapa para tentar a reeleição, opositores firmam alianças para tentar desbancá-lo nas urnas. 

Com convenção marcada para a noite de domingo (13), Arnon Bezerra tem conversado com aliados do senador Cid Gomes (PDT) e do governador Camilo Santana (PT), grupo que está compromissado com a reeleição do prefeito, e do qual deve sair a indicação do candidato a vice. 

Mesmo com resistência da Executiva Nacional do PTB, de Roberto Jefferson, um cenário provável é que a chapa seja composta com o PT, que tem como pré-candidato Gabriel Santana, filho do ex-prefeito e ex-deputado estadual Manoel Santana. Jefferson não quer aliança com o PT, mas no cenário as lideranças políticas é que dão o tom da disputa. No entanto, a aliança com a legenda petista também enfrenta resistência entre membros do partido, que defendem um cabeça de chapa para consolidar candidatos a vereador.

Todavia, as duas agremiações marcaram convenções para o mesmo dia – amanhã (13) –, o que aumenta as especulações sobre a aliança. Nos bastidores, alguns dizem que foi o próprio prefeito Arnon que propôs o enlace.
Outra possibilidade de vice é Maricelle Macedo (MDB), esposa do ex-prefeito Raimundão. Caso a aliança de Arnon com o PT se confirme, o grupo emedebista deve se unir à candidatura do deputado estadual Nelinho de Freitas (PSDB), com quem Raimundo Macedo e aliados também têm conversado.

Fator importante dentro das negociações é o tempo de rádio e TV das legendas, em lista liderada pelo PT, com 10,7% do horário gratuito, e que tem, entre os partidos com pré-candidaturas anunciadas, o MDB e o PSD com 6,6%, o PSB com 6,2%, o PSDB, com 5,7%, o PDT com 5,5%, o Podemos, com 2,1%, o PTB e o Psol, com 1,9%, o PCdoB, com 1,7%. 

Nesse cenário, o vereador Glêdson Bezerra (Podemos) conseguiu apoio importante durante a semana. Rompido com Arnon durante mais da metade do mandato, o atual vice-prefeito, Giovanni Sampaio (PSD), teve carta branca do presidente estadual do seu partido, Domingos Filho, para ser vice na chapa encabeçada por Glêdson. 

Sampaio havia anunciado apoio à pré-candidatura do segundo colocado nas últimas eleições, Gilmar Bender (PDT), mas o empresário, mesmo com o aval do presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, não teve a candidatura viabilizada pelo comando estadual pedetista, aliado de Arnon. Nos bastidores, é apontado que Cid Gomes já tinha dado a sua palavra sobre o apoio ao prefeito, o que inviabilizou o nome de Bender. 

Mesmo de maneira informal, Bender também sinaliza compor com a candidatura de Glêdson. Porém, ele pode até atuar em favor do nome do Podemos, mas a decisão para integrar a chapa cabe ao PDT, o que não deve se concretizar.
Outros pré-candidatos já anunciados são a ex-deputada estadual Ana Paula Cruz (PSB), aliada do governador Camilo Santana que deve compor chapa com Andrea Landim (Rede), o jornalista Demontieux Fernandes e o colega de partido Fanco Duarte como postulantes a prefeito e vice pelo Psol, o professor Aurélio Matias (PCdoB) e o médico Maurício Sampaio (PV).

Outros municípios

No Crato, o cenário é menos nebuloso do que em Juazeiro. Lá, a aliança PT-PDT na disputa majoritária já é garantida. Isso porque o atual prefeito Zé Ailton Brasil deixou o PP, partido pelo qual foi eleito em 2016, para se filiar ao PT em março deste ano de olho no pleito. A mudança não foi à toa diante de proximidade dele com o governador e do interesse de lideranças da legenda pelo seu nome. 

A chapa de Zé Ailton deve ser a mesma de 2016, com o seu vice André Barreto (PDT), atraindo vários aliados. No município, um dos adversários já está confirmado: a professora da universitária Zuleide Queiroz (Psol). O nome dela foi oficializado ontem pelo partido junto com o do candidato a vice-prefeito, professor Juciel Lima (Psol).


Outros nomes que devem ser confirmados nos próximos dias como candidatos da oposição são o ex-prefeito José Adega (PSD) e do médico Aloísio Brasil (Pros).

Barbalha

Já no terceiro município que compõe o Crajubar, há menos pré-candidatos sendo apresentados. Em Barbalha, o prefeito Agemiro Sampaio Neto (PSDB) deve ter como adversário o médico Guilherme Saraiva (PDT), que tende a compor a chapa da sigla com o vereador Vevé Siqueira (PT). 

A disputa entre as chapas tucana e pedetista deve ser acirrada na região, aos moldes do que foi a competição no pleito de 2016 entre o atual prefeito e o deputado Fernando Santna (PT), que perdeu por uma diferença de apenas 0,53% dos votos na cidade.

Em Sobral, PDT e MDB encaminham candidaturas

Em Sobral, na Região Norte, as definições sobre candidaturas começaram a sair ontem, com a oficialização da primeira chapa na disputa pelo Executivo Municipal. Durante convenção híbrida, o PDT oficializou a candidatura do prefeito Ivo Gomes à reeleição. Diferente de Fortaleza, lá o clima de harmonia entre PT e PDT prevalece para mais uma pleito. A chapa pedetista para a eleição majoritária na Princesinha do Norte será a mesma de 2016, com a petista Christianne Coelho como candidata a vice. Na ocasião, Ivo destacou a boa relação com sua vice e agradeceu a aliados.

“Quem tem que agradecer a você por participar da minha chapa sou eu, Christianne. Em time que está ganhando não se mexe, mas gostaria de dizer que essa gestão não é minha, apenas consegui constituir uma boa equipe para governar, o que não seria possível sem ajuda dos vereadores”, disse.

Mais uma vez, em Sobral, está garantida a associação direta da imagem do governador Camilo Santana (PT) junto com o grupo político dos Ferreira Gomes na campanha eleitoral – cenário que não deve se repetir na Capital. Inclusive, várias autoridades participaram presencial e virtualmente do evento de ontem.

Dentre elas, o governador Camilo Santana, a vice-governadora Izolda Cela (PDT), o senador Tasso Jereissati (PSDB) e os irmão Ciro e Cid Gomes. Até o momento, a chapa a conta com apoio de 11 partidos, incluindo adversários no pleito passado. São eles: PDT, PT, PSB, PCdoB, DEM, PSDB, Cidadania, PSD, PTB, PL e PP. 

Em Sobral, a disputa deve se afunilar, novamente, em torno de duas famílias tradicionais: a dos Ferreira Gomes e a dos Rodrigues – únicas possibilidades postas à mesa até agora. Na próxima terça-feira (15), o MDB deve oficializar a candidatura do empresário Oscar Rodrigues. Apesar de o partido ainda não ter comunicado oficialmente, o nome dele deve ser o escolhido, e não o do filho, o deputado federal Moses Rodrigues – uma das possibilidades internas apresentadas.

Moses disputou a Prefeitura de Sobral em 2016 e foi o segundo mais votado, perdendo apenas para Ivo, que foi eleito. Agora, para tentar ter mais envergadura, o grupo político dos Rodrigues deve sair com o nome de Oscar, que tende a ter como candidato a vice o ex-candidato a prefeito Dr Guimarães (PSL). A chapa deve contar com apoio do PRB, Novo, Avante, Pros e Republicanos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política

Assuntos Relacionados