Em homenagem na Câmara, Theophilo evita rebater Governo do Estado sobre projeto para Maracanaú

Polêmica em torno da escolha do município para o "Plano Nacional de Enfrentamento aos Crimes Violentos" gerou declarações fortes no sábado (30) entre o titular da Secretaria Nacional de Segurança Pública e o secretário estadual André Costa

Legenda: General Theophilo concede entrevista coletiva antes das homenagens na Câmara Municipal de Fortaleza
Foto: Foto: Rodrigo Gadelha

Homenageado com o título de Cidadão Fortalezense e com a Medalha Boticário Ferreira, nesta segunda-feira (1º), na Câmara Municipal de Fortaleza, o titular da Secretaria Nacional de Segurança Pública, General Theophilo, demonstrou irritação ao ser questionado sobre as declarações do secretário estadual de Segurança, André Costa, sobre a escolha de Maracanaú para um projeto especial.

O policial federal respondeu a declarações do próprio General, no último sábado (30), que reclamou da "falta de apoio do governador do Estado" para incluir o município da Região Metropolitana de Fortaleza na lista dos cinco locais escolhidos para o "Plano Nacional de Enfrentamento aos Crimes Violentos".

Incômodo

Na ocasião, André Costa disse que Theophilo "faltou com a verdade". Questionado na chegada à Câmara, General Theophilo disse que não falaria sobre o assunto. Mais tarde, minutos antes das homenagens, o secretário nacional retrucou, sem entrar em detalhes sobre quais seriam as contrapartidas do Governo do Estado para a implantação do projeto em Maracanaú.

"Vocês tem que perguntar ao governador Camilo (Santana), foi ele que não colaborou. Não fui eu. Foi marcada uma reunião e ele não compareceu, não mandou ninguém. Só mandou o secretário de segurança", reclamou.

"Um projeto de mais de R$ 200 milhões, sete ministérios envolvidos e o Ceará vai ficar de fora. Aí você perguntam ao governador Camilo que ele vai responder", completou.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de política?