Em clima de campanha, sessão da Câmara fica em segundo plano

Enquanto os parlamentares discutiam entre si a captação de votos nas ruas, no 'corpo a corpo', setores da economia ainda foram à Casa para reivindicar a ampliação do funcionamento durante a pandemia

Legenda: Movimentações fora do plenário da Câmara Municipal postergaram o início de votações na sessão de ontem (23)
Foto: José Leomar

Com os bastidores eleitorais fervilhando em Fortaleza, a sessão da Câmara Municipal de ontem acabou ficando em segundo plano com as articulações para as campanhas, que se iniciam no próximo domingo (27). Os parlamentares discutiam entre si como será a busca por votos nas ruas, no 'corpo a corpo'. Os governistas receberam ainda a visita do candidato do PDT à Prefeitura da Capital, Sarto Nogueira.

Antes do fim da sessão, porém, houve votação de projetos do Executivo Municipal e outros de parlamentares, mesmo com certa dificuldade para atingir o quórum. Por conta da pandemia de Covid-19, a Câmara está realizando apenas uma sessão por semana, às quartas-feiras.

O prefeiturável do PDT, deputado Sarto Nogueira, foi ao Legislativo para conversar informalmente com os vereadores da base aliada, antes da sessão começar. Ele está na fase de planejamento da campanha e seus movimentos têm demonstrado interesse de aproximação com parlamentares municipais. Já foram, pelo menos, três reuniões nos últimos dias. A recepção do atual presidente da Assembleia Legislativa na Presidência da Casa contou até com o cumprimento de vereadores da oposição.

Movimentações

Nos corredores, parlamentares que, ao longo da pré-campanha, quando foram lançados cinco pré-candidatos do PDT, admitiam ter um outro nome do partido como preferência, começaram a mudar o tom do diálogo. Todavia, também houve desconforto entre alguns vereadores de partidos que compõem a coligação de Sarto na disputa em Fortaleza. É o caso de Jorge Pinheiro (PSDB). "Meu partido apoia, mas eu ainda estou decidindo", revelou em contato com a reportagem.

No início desta semana, Sarto começou reuniões com vereadores de partidos que compõem a coligação para 'estreitar' laços e traçar estratégias de campanha.

Campanha

Independentemente de alianças e partidos, todos os vereadores já estão se preparando para a campanha, que começa no dia 27 deste mês. Eles reconhecem que, neste ano, por conta da pandemia, as estratégias terão de ser ampliadas, para tentar captar o eleitor nas redes sociais.

No entanto, alguns ponderam que o trabalho 'corpo a corpo' não deixará de existir. Passeatas, carreatas e 'bandeiraços' estão entre os eventos que não são descartados. Para isso, vereadores dizem que já pensam medidas que viabilizem ações de campanha e respeitem os protocolos sanitários. Parte da composição da Câmara pertence a grupo de risco da Covid-19.

Projetos

Na sessão, parlamentares aprovaram em segunda discussão o projeto de lei do Poder Executivo que isenta permissionários de quiosques da Prefeitura da Capital, situados em locais de obras, de pagarem aluguel durante intervenções. Dessa forma, poderão voltar a funcionar enquanto durarem as obras.

Os vereadores também deram andamento à tramitação da proposta de atualização do Regimento Interno da Casa. Ontem, foi feita a primeira leitura do projeto em plenário. Agora, o novo texto está pronto para receber emendas. A matéria precisa ser lida em três sessões para poder ir à pauta de votação.

Manifestação no Legislativo

Do lado de fora da Câmara, artistas e empresários estiveram presentes para pedir a reabertura de parques infantis e isonomia nas regras aplicadas ao segmento na Capital. Eles querem realizar festas, shows de humor e outros eventos seguindo as mesmas normas aplicadas a restaurantes e escolas, por exemplo.

O decreto estadual em vigor permite apenas eventos com até 100 pessoas na macrorregião de Fortaleza. Apesar dos legisladores não terem poder sobre decreto estadual, a cobrança é que eles tentem diálogo com o prefeito Roberto Cláudio (PDT), que tem abertura com o governador Camilo Santana (PT). Uma comissão foi formada para dar suporte às demandas.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política

Assuntos Relacionados