Deputados miram eleição com o desafio de conciliar pré-campanhas com mandatos

Mais de dez parlamentares são cotados como pré-candidatos a prefeito. As articulações começaram no ano passado, mas devem se intensificar neste período de pré-campanha, em que dividem a agenda política com o mandato

Legenda: Nos bastidores da Assembleia, alguns deputados já confirmam pré-candidatura a prefeito
Foto: Foto: José Leomar

A corrida eleitoral deste ano já começou para alguns deputados estaduais e isso deve ter reflexos no plenário da Casa. Mais de dez parlamentares pretendem disputar prefeituras no próximo mês de outubro. Fora da Assembleia Legislativa, eles intensificam o corpo a corpo nos municípios. O desafio, então, é conciliar o mandato parlamentar com as atividades de pré-campanha para não deixar sessões legislativas esvaziadas.

Nas primeiras sessões do ano, apesar de o painel registrar dezenas de deputados presentes, poucos eram vistos em plenário. Desde o recesso parlamentar do fim do ano (entre 23 de dezembro e 31 de janeiro) a maioria dos deputados aproveitou o tempo para intensificar as visitas às suas bases eleitorais. O momento também serviu para dar o pontapé nas articulações com os partidos no interior.

Alguns deputados já confirmam pré-candidatura, outros são cotados nos bastidores. Em Fortaleza, o deputado Heitor Férrer (SD) deve entrar novamente na disputa. Ele busca estrutura do partido para sustentar seu nome. Enquanto isso, diz que vai continuar "na mesma pisada" na Assembleia: a de fiscalizar o Poder Executivo estadual.

"O papel do parlamentar é definido constitucionalmente. Ele tem que fiscalizar as ações do Governo, não porque eu sou de oposição. O deputado tem esse papel constitucionalmente definido e vou seguir na mesma pisada".

No Psol, o deputado Renato Roseno é citado como provável concorrente em Fortaleza, mas ainda não há definição no partido. O parlamentar adianta que a questão vai ser debatida nos congressos municipal e estadual do Psol. Tanto Roseno como Férrer fazem oposição à gestão em Fortaleza. Do lado do grupo governista, o deputado José Sarto (PDT), presidente da Assembleia, também é cotado para disputar o cargo de prefeito na Capital.

RMF

Já na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), o deputado Júlio César Filho (Cidadania) é tido como certo na disputa. Ele já concorreu na eleição de 2016, mas foi derrotado.

"Existem outros partidos colocando os nomes, que estão em diálogo aberto conosco, no sentido de construir uma ampla frente de oposição à gestão, então esse é um momento de diálogo com a população e as lideranças políticas do município", diz.

Líder do Governo na Assembleia, Júlio César terá que se desdobrar para equilibrar a agenda política com a parlamentar. "Vamos tentar, para que a gente não possa prejudicar o trâmite das matérias, seja de autoria dos deputados ou de outro poder".

Contra Júlio César concorrerá um candidato do grupo ligado à gestão de Maracanaú, liderado pelo deputado federal Roberto Pessoa. Ele e a filha, a deputada estadual Fernanda Pessoa, ambos do PSDB, são cotados para entrar na disputa. No entanto, essa definição só acontecerá mais à frente.

Integrantes da cúpula tucana no Ceará avaliam que a saída de Roberto da Câmara dos Deputados seria um baque na bancada do PSDB, uma vez que ele é visto como articulador que transita nos ministérios. Fernanda, por sua vez, é apontada por interlocutores do partido como alguém com "popularidade boa".

Questionada sobre o assunto, a deputada diz que o candidato "do coração" de seu grupo político é Roberto Pessoa, mas não descarta o seu nome. "Isso vai ser decidido nas convenções. A cidade tem um prefeito que tem muitas coisas a serem feitas. Mas eu estou à disposição e preparada".

Em Caucaia, também na RMF, Vitor Valim (Pros), desde o ano passado, está em ritmo de pré-campanha. Opositor à atual gestão, ele busca aliança com outros partidos.

"Estamos tentando manter o arco de aliança do Capitão Wagner, que vai acontecer em Fortaleza, em Caucaia e pretendemos mostrar o 'projeto 90' nessas regiões". Valim diz que não pensa em se licenciar da Assembleia por conta das eleições. "Dá com muita tranquilidade para você tocar as duas coisas".

O deputado Elmano de Freitas (PT) também está entre os pré-candidatos em Caucaia. O diretório municipal do partido decidiu nesta semana lançar candidatura própria e o nome aprovado foi o dele. O cenário, entretanto, ainda está em aberto e requer cautela.

No caso do PT, os acordos passam pela eleição em Fortaleza. A ideia da cúpula do partido é buscar o governador Camilo Santana, liderança máxima da sigla petista no Estado, para alinhar as pré-candidaturas. Dirigentes tentam uma reunião com ele na próxima semana. Já em Aquiraz, o deputado estadual Bruno Gonçalves (Patriota) confirma a pré-candidatura.

Interior

No interior, alguns deputados também se movimentam para as eleições e, em alguns municípios, a disputa tende a ser acirrada. Em Iguatu, o deputado Marcos Sobreira (PDT) pode ser candidato. A mãe, ex-deputada Mirian Sobreira, que migrou do PDT para o PT, também é alternativa.

"Na verdade, estamos formando um grupo, que tem quatro partidos: PDT, PT, PCdoB e PP. Deles vamos traçar um candidato. Nesse momento, a gente está preocupado em fazer as filiações dos pré-candidatos a vereador. A discussão do nome da (eleição) majoritária vai ficar mais para frente", desconversa.

Outro deputado que deve concorrer com o grupo dos Sobreira é Agenor Neto (MDB). Ex-prefeito de Iguatu de 2005 a 2012, o parlamentar se articula desde o ano passado para voltar à disputa. Ele quer ir para o PSB, de olho na eleição de outubro próximo.

"Estarei me filiando ao PSB nos próximos 60 dias", diz. Questionado sobre como conseguirá conciliar o mandato com a pré-campanha, Agenor cita que evita falar de política. "Porque são tantos problemas que temos e eu, como deputado, represento vários municípios, procuro evitar falar de pré-campanha ao máximo".

Articulações movimentam a Região do Cariri

Na Região do Cariri, a Prefeitura de Juazeiro do Norte também é cobiçada por vários pré-candidatos – são pelo menos 16, até o momento. Um deles é o deputado estadual Nelinho Freitas (PSDB). No momento, o parlamentar articula a instalação de um diretório municipal da legenda tucana em Juazeiro e organiza um evento no município com a cúpula da sigla no Estado para anunciar oficialmente sua pré-candidatura à Prefeitura neste ano. 

“Eu, como sou da região do Cariri, e Juazeiro foi a cidade em que tive mais votos (em 2018), o PSDB vê o nosso nome para que a gente possa disputar (a Prefeitura) e a gente conta com o apoio do partido em nível estadual. Estamos conversando com outros pré-candidatos. Vejo com bons olhos a possibilidade de a oposição se unir em torno de um nome só”, diz. 

O deputado Fernando Santana (PT), vice-presidente da Assembleia, é cobiçado para a disputa em Juazeiro do Norte e também em Barbalha. O parlamentar chegou a se reunir com lideranças do partido nos municípios, nos últimos dias, mas nada de bater o martelo ainda. 

“Nós vamos avaliar com muito cuidado. Primeiro que só tomo qualquer decisão de candidatura ouvindo a população. Segundo que tenho que ouvir meus líderes políticos: o governador Camilo, o senador Cid Gomes, o deputado José Guimarães. Vamos dialogar muito e, após abril, creio que vai se afunilar o prazo da decisão. Até lá, tudo não passa de mera cogitação”, tergiversa o deputado petista. 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de política?