Comissão deve votar hoje reforma da Previdência 

Colegiado na Câmara tentará votar o novo parecer do relator nesta quinta-feira

Legenda: Reunião da comissão especial da reforma da Previdência entrou pela madrugada devido às manobras da oposição para adiar a votação do relatório de Samuel Moreira.
Foto: Foto: Reprodução

A comissão especial da reforma da Previdência (PEC 6/19) rejeitou, por 35 votos a 0, com 12 obstruções, o último requerimento para adiar a votação do texto. A sessão encerrou no começo da madrugada desta quinta-feira. Com isso, a pauta do colegiado está liberada para analisar o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). A expectativa é de que a votação ocorra hoje.

Para o líder do PDT, deputado André Figueiredo (CE), autor do requerimento rejeitado, a história julgará quem tem razão. “Se nós, que estamos alertando que essa reforma vai jogar ao desespero milhões de brasileiros, ou aqueles que dizem que, após essa PEC, o Brasil vai virar uma ilha da prosperidade”, disse.

Vice-líder do PRB, o deputado Capitão Alberto Melo (AM) afirmou que o governo enganou a Polícia Militar. “Conversando com os técnicos da Previdência, ficou claro que o texto está enganando os PMs”, declarou. “Não traz a similaridade, a simetria com as Forças Armadas. Com essa proposta aqui, não teremos os votos dos policiais militares”, acrescentou.

No fim da sessão, o presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), convocou novo encontro para as 9h desta quinta-feira, a fim de tentar votar o parecer do relator.