Cearenses têm nova rodada de negociação de emendas de bancada

Ontem, parlamentares do Estado no Congresso Nacional voltaram a se reunir, em Brasília, para discutir a destinação de recursos ao Estado. Alguns apontam como consenso a parte das emendas a ser destinada ao Governo do Ceará

Legenda: Reunião da bancada cearense começou já à noite com apresentação de demandas
Foto: Foto: Carol Cuvello

Com o prazo apertado para definir as emendas de bancada à Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020, que termina no dia 24 de outubro, a bancada cearense voltou a se reunir, ontem, pela quarta vez. O impasse para fechar os valores que serão destinados aos órgãos, entidades ou estatais se acirrou ainda mais. Cada parlamentar tem demandas que considera prioritárias. 

O coordenador da bancada, Domingos Neto (PSD), informou no início que a bancada recebeu uma série de demandas que poderão ser contempladas com emendas. Entre as demandas apresentadas, estão Embrapa, Infraestrutura, Telebrás, Codevasf, Complexo Hospitalar de Barbalha, Fundação Peter Pan, Funasa, Dnocs e Corpo de Bombeiros.

Os 22 deputados federais e os três senadores do Ceará podem indicar até 18 emendas, no valor total de R$ 246 milhões. Na última reunião, ocorrida na semana passada, ficou definido que, do valor total, os cearenses vão destinar, pela bancada, até R$ 120 milhões ao Governo do Estado. O recurso será destinado à construção do Hospital da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e de um centro integrado de segurança, como havia sido pleiteado pelo governador Camilo Santana (PT).

Divisão

O deputado José Guimarães (PT) informou que há um entendimento grande da bancada para atender os interesses do Estado. “São 18 emendas, e essas emendas podem ser destinadas ao Dnocs, IFCEs, Embrapa, Corpo de Bombeiros, são vários projetos que foram solicitados. Vamos fechar o pacote que ficará dependendo da execução orçamentária, e que pode ou não ser executado”, explicou o petista. Para o deputado Robério Monteiro (PDT), a bancada está mais preocupada com a Educação, o Dnit e o Dnocs. “Vamos discutir e investir nas demandas prioritárias”, disse.

O frei Juraci Barbosa, frade de Nossa Senhora do Carmo, esteve na reunião da bancada para pedir o apoio dos parlamentares para a festa do Senhor do Bonfim, que começa com uma romaria que tem início no dia 15 de novembro e retorna em 22 de dezembro até 6 de janeiro em Icó. 

A festa é uma das mais antigas do Ceará, celebrada há 268 anos. Todo ano, reúne cerca de 100 mil fiéis. “Tendo esse espaço cedido, pediria o apoio para realizar o grande sonho de construir o Horto do Senhor do Bonfim no Vale do Salgado”, disse o frei no início da reunião.

Turismo

Pelo projeto apresentado aos parlamentares, a ideia é construir um local para alavancar o turismo religioso, com capacidade de abrigar 1.400 pessoas sentadas. A obra tende a ser a maior do Nordeste no âmbito religioso, e deve custar aproximadamente R$26 milhões. 

“É uma causa nobre, porque a imagem do Senhor do Bonfim é a única do Estado do Ceará”, ressaltou. Após a explanação do frei, o deputado Heitor Freire (PSL) e o senador Cid Gomes (PDT) exaltaram o projeto como forma de alavancar o turismo religioso. A definição final dos valores que serão destinados para as demandas apresentadas e consideradas prioritárias pela bancada ainda não tinha sido deliberada até o fechamento desta matéria. 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de política?