Câmara pode começar a retomar trabalhos presenciais em julho, segundo Maia

Rodrigo Maia afirmou que estuda protocolos de segurança para a retomada; discussão de projetos como a reforma tributária também estão previstos para o mês que vem

Fotografia da Câmara dos Deputados
Legenda: Câmara dos Deputados
Foto: Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), considera que este não é o momento adequado para se retomar os trabalhos presenciais da Câmara dos Deputados. Ele afirmou que estuda o início de uma retomada em julho, com protocolos de segurança para a prevenção da Covid-19. É também para o próximo mês que deve ficar o retorno dos debates de projetos como a reforma tributária.

"Não é simples, mas acho que devemos começar a avaliar neste mês para que no mês de julho a gente possa tomar a melhor decisão", disse. "Vamos ter que pensar com muito cuidado e estudar os protocolos, além de fazer testes e aferir temperatura, ver o que faremos com parlamentares do grupo de risco. O mês de julho me parece mais adequado, com todos os protocolos. São dados que ainda precisamos organizar para ver o nível de contaminação do nosso universo", afirmou.

Questionado sobre as manifestações do último fim de semana, Maia disse que não deveria existir, durante a pandemia, nenhum evento desse tipo. "De todos os campos", afirmou.


Votações
Maia afirmou ainda que há um acordo para que todas as medidas provisórias a serem votadas pelos deputados se atenham ao seu tema, sem o acréscimo dos chamados "jabutis". Sobre a MP 927, que trata sobre medidas trabalhistas durante a pandemia, ele afirmou que foi pedido para que o relator retirasse do seu relatório trechos que não tinham relação com o texto original enviado pelo governo.